Moema é o único bairro da Zona Sul entre os cinco distritos com menor taxa de mortalidade para Covid-19

0
400

Enquanto lá em Cachoeirinha, na Zona Norte, a taxa de mortalidade é de 68 a cada 100 mil habitantes, Moema registra 15. Segundo pesquisa do Observatório Covid-19 BR, a taxa de escolaridade e a quantidade de pessoas que moram na mesma casa são os principais fatores que impactam nas mortes


O bairro de Moema é o único da Zona Sul que integra a lista dos cinco bairros com as taxas de mortalidade mais baixas, em toda a capital, para o coronavírus. Segundo pesquisa do Observatório Covid-19 BR, que considerou o perfil etário das mortes e a população local, nos dois primeiros meses da pandemia, Moema registrou 15 mortes a cada 100 mil habitantes.

Além de Moema, também registraram uma baixa taxa de mortalidade (a cada 100 mil habitantes), os bairros da Bela Vista e Pinheiros, com 17 mortes cada um; Jardim Paulista, com 13 óbitos e Butantã, com 12 fatalidades.

A escolaridade é o fator que mais impactou no resultado da pesquisa: os 96 distritos da capital foram distribuídos em cinco grupos iguais, levando em consideração a porcentagem da população que tem diploma do ensino superior. Pela análise, foi visto que para quem tem escolaridade mais alta, a taxa de mortalidade chega a 21 óbitos, a cada 100 mil habitantes. Os distritos que tem menor escolaridade registram 43 mortes a cada 100 mil habitantes.

“Todos os indicadores sociais vão na mesma direção e a escolaridade é a que tem o maior efeito. E o efeito é sempre maior — as desigualdades são maiores — nos menores de 60 anos”, explicou a epidemiologista Karina Ribeiro, professora do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP), que elaborou a pesquisa.

A baixa mortalidade por Covid-19 em Moema também é gerada por outros fatores, conforme mostra o Mapa da Desigualdade 2019, elaborado pela Rede Nossa São Paulo:

• Moema tem 17,99% dos leitos hospitalares (clínicos, cirúrgicos, pediátricos e obstétricos) para cada 1.000 habitantes, enquanto a Brasilândia, que tem a 5ª maior taxa de mortalidade para a Covid-19, tem apenas 0,011% de leitos para cada 1.000 habitantes;

• Moema registra 9,15% das mortes por doenças no aparelho respiratório (como hipertensão pulmonar e asma) para cada 10.000 habitantes.

Segundo a pesquisa do Observatório Covid-19 BR, Moema e outros bairros nobres da capital tem taxa de mortalidade menor por causa da densidade domiciliar, ou seja, a quantidade de pessoas que moram na mesma casa. “Na análise segundo densidade domiciliar, também nota-se que as desigualdades são maiores na população com menos de 60 anos; neste grupo, a mortalidade por COVID-19 é quase quatro vezes maior na população com maior densidade domiciliar comparado ao grupo com os menores valores (Alto de Pinheiros, Campo Belo, Itaim Bibi, Moema, Santo Amaro e Vila Mariana)”, informa a pesquisa.

Mapas divulgados pela Prefeitura também comprovam a pequena evolução das mortes (confirmadas e suspeitas) em Moema:


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.