Prefeitura sinaliza reabertura de shoppings e comércio de rua a partir de amanhã (10)

0
158

Cada setor só pode atender 20% do público e em horários específicos: das 11h às 15h o comércio de rua e imobiliárias, e das 16h às 20h os shoppings tradicionais. Ministério Público e Defensoria deram 48 horas para órgãos de transporte indicarem as medidas que serão utilizadas para evitar o contágio, já que o número de pessoas no transporte coletivo vai aumentar


No dia em que o Estado de São Paulo bate o recorde de 334 novos óbitos, contabilizando 9.522 mortes por coronavírus, a capital paulista sinaliza abertura de mais setores comerciais: amanhã (10) devem reabrir as lojas de rua e imobiliárias, e na quinta-feira (11) reabrem os shoppings.

Os primeiros setores a receberem autorização da Vigilância Sanitária para reabrir foram as concessionárias e os escritórios. Cada um desses setores vão seguir protocolos de higiene específicos e os novos comércios que reabrem amanhã também seguem nessa linha:

Público: cada setor só pode atender 20% do público;

Higiene: obrigatório uso de máscara, distanciamento social, disponibilizar álcool gel;

Horário: nenhum setor pode abrir perto do horário de pico. O comércio de rua e as imobiliárias vão abrir das 11h às 15h, os shoppings populares das 6h às 10 da manhã e os shoppings tradicionais das 16h às 20h da noite.

Segundo a Prefeitura, até ontem (8), mais de 100 propostas com protocolos sanitários foram enviados para análise. “Entre os documentos recebidos 59 são da fase 2 e outras 47 sugestões são de entidades enquadradas nas demais fases. Encontrando-se formalmente adequada a proposta, a Secretaria apresentará sua manifestação e a encaminhará para análise da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (COVISA). Caso tudo seja aprovado, haverá a celebração de um termo de compromisso com as entidades do setor analisado e os estabelecimentos relativos ao respectivo setor poderão retomar o atendimento presencial ao público, devendo cumprir com todas as exigências nele fixadas”.

Com a reabertura de mais setores comerciais, a sobrecarga no transporte público é certa, por isso, foi criado o escalonamento de horários, para que as lojas não abram em horário de pico. Nesse sentido, a Prefeitura determinou, na última sexta-feira (5), que os ônibus devem respeitar o limite de assentos e transportar apenas passageiros sentados.

No entanto, na última segunda-feira (8), primeiro dia útil da medida, a Zona Sul registrou aglomeração em algumas linhas, como na 6115-10 (Cantinho do Céu/Terminal Grajaú) e 5362-10 (Praça da Sé/Residencial Cocaia).

Contrariado, o prefeito Bruno Covas ameaçou o secretário municipal de Mobilidade e Transportes. “O secretário havia me dito que garantia que nessa semana não haveria passageiro em pé. Hoje pela manhã os números que a gente tem é que 5% das linhas nós tínhamos passageiro em pé. O secretário tem até sexta-feira para conseguir fazer isso. Se até sexta-feira ele não conseguir fazer isso, a partir da segunda é outro secretário que vai tentar fazer isso”, afirmou o prefeito.

Nesta terça-feira (9), a Defensoria Pública do Estado de São Paulo e o Ministério Público-SP deram 48 horas para a SPTrans, EMTU, Metrô, CPTM, Secretaria de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo e a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transporte, responderem as medidas que serão feitas para evitar aglomeração de passageiros e consequente aumento do risco de contágio.

Os órgãos pedem que seja utilizada 100% da frota, sejam feitos protocolos de distanciamento entre passageiros, além de ampla divulgação informação sobre o funcionamento do serviço de forma contínua.

“As notícias têm mostrado que ônibus, metrôs e trens estão circulando com lotação elevada, o que aumenta as chances de contágio. Esperamos que os órgãos e empresas do setor se responsabilizem em proteger a saúde das pessoas que precisam se deslocar para trabalhar, notadamente a população mais pobre, que mais necessita do transporte coletivo”, explicou a Defensora Pública Estela Waksberg Guerrini, do Núcleo Especializado de Defesa do Consumidor.

Por sua vez, a Prefeitura informou que a frota será reforçada com 1.705 ônibus a partir de amanhã (10). “Com isso, a frota em circulação será de 11.828 veículos, ou 92,31% da frota operacional nos dias úteis pré-quarentena”, informou a SPTrans.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.