Mapa mostra mais de 600 mortes por coronavírus em bairros da Zona Sul de SP

0
643

Nas regiões pobres e afastadas do Centro de São Paulo, o risco de morrer por Covid-19 chega a ser 10 vezes maior do que no centro


Um novo mapa divulgado pela Prefeitura mostra que, entre os dias 11 e 30 de abril, a cidade de São Paulo registrou 1.683 mortes (confirmadas e suspeitas) pelo novo coronavírus, sendo que mais de 600 dessas vítimas eram moradores da Zona Sul da capital.

O mapa atual registra: 3 mortes em Marsilac, 7 na Capela do Socorro, 16 em Santo Amaro, 19 no Campo Grande, 23 em Pedreira, 26 em Moema, 27 no Campo Limpo, 30 no Campo Belo, 33 no Itaim Bibi, 46 na Vila Mariana, 50 em Cidade Dutra, 52 no Jabaquara, 55 no Jardim São Luís, 56 no Jardim Ângela, 58 em Cidade Ademar, 60 no Capão Redondo e 65 no Grajaú.

Com 63.744 moradores, o Campo Belo apresenta o maior número de mortes por 100 mil habitantes, apesar de bairros periféricos como o Grajaú ter uma população maior (390.096 pessoas). No entanto, é na periferia onde são registrados o maior número de óbitos: o mapa também indica que uma maior concentração de mortes em bairros onde há muitos cortiços e conjuntos habitacionais.

“Semanalmente o número de mortos, tanto confirmados quanto suspeitos, vocês veem que começa na zona central da cidade, mas vai aumentando muito na periferia, Brasilândia, Grajaú, Sapopemba, Cidade Tiradentes, mostrando o quanto isso está se disseminando na periferia. A gente conseguiu mostrar também o quanto isso se concentra nas áreas em que temos favelas na cidade de São Paulo. Toda a atenção do poder público é justamente para a população em maior situação de vulnerabilidade”, disse o prefeito Bruno Covas.

Nas regiões pobres e afastadas do Centro de São Paulo, o risco de morrer por Covid-19 chega a ser 10 vezes maior do que no centro, segundo dados de outro boletim divulgado pela Prefeitura.  Na análise, os distritos de São Paulo foram divididos de acordo com os índices de exclusão.

O cenário é preocupante: considerando casos confirmados da doença (até o dia 23 de abril), foi registrado que, em sete dias subiu de 87 para 186 o número de casos no Capão Redondo e de 43 para 74 em Pedreira, ou seja, um aumento de 113% e 72%, respectivamente.

Hoje (6), o Brasil ultrapassou mais de 8 mil mortes, sendo 3.045 no Estado de São Paulo, e quase duas mil na capital.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.