14.1 C
São Paulo
domingo, 26 junho, 2022
Mais

    Entidades santamarenses se reúnem para cobrar reabertura do Teatro Paulo Eiró

    Mais lidas

    Dois abaixo-assinados foram criados e serão entregues ao secretário municipal de Cultura cobrando agilidade na reabertura do segundo maior teatro da capital paulista

     

     

    Na última terça-feira (4), representantes da sociedade santamarense se reuniram para “tentar levantar uma bandeira” em prol do Teatro Paulo Eiró, que está fechado desde o fim do ano passado, após problemas em equipamentos elétricos.
    A reunião foi organizada pelo Centro de Tradições de Santo Amaro (Cetrasa) e pela Associação Comercial São Paulo Distrital Sul, com participação de representantes de entidades do bairro, como do Rotary Borba Gato, Sebrae (unidade Adolfo Pinheiro), Sesc Santo Amaro, Fiesp e Lar da Paz.
    Prestes a assumir como diretor superintendente da ASCP Distrital Sul, Antônio Benedito Leite da Silva Souza afirmou que, é de suma importância reunir as pessoas que fazem parte da história de Santo Amaro. “Eu estou chegando como superintendente, feliz por estar conseguindo elencar algumas entidades. Uma coisa importante, eu acho, é agregar as pessoas. Que nós possamos nos fortalecer, porque foi assim que construímos a nobre história do bairro”, disse.
    Está já é a terceira vez que o segundo maior teatro da capital paulista é fechado. Entre 2011 e 2015, foram gastos R$ 14 milhões para uma reforma estrutural e em 2016, aconteceram problemas na rede elétrica. O Teatro foi reaberto em março de 2017, mas os problemas permaneceram e desde o final de 2018, o local está sem energia.
    “A gente quer que as autoridades municipais resolvam o problema da eletricidade. As entidades se congregaram justamente para ver se o secretário toma uma postura e resolve o problema”, explicou José Carlos Bruno, presidente do Cetrasa.
    Durante a reunião, os representantes das entidades santamarenses assinaram um documento que será entregue ao secretário municipal de Cultura, Alê Youssef. Também serão entregues dois abaixo-assinados: um físico, que já tem 500 assinaturas, e um online, com 2.500 assinaturas.
    Em nota enviada ao Grupo Sul News, a Secretaria Municipal de Cultura (SMC) afirmou que “estuda a possibilidade de promover atividades artísticas na área externa do equipamento”, ou seja, na praça em frente ao Teatro, assunto discutido durante a reunião.  “Eu, enquanto santamarense, entendo que isso [apresentações externas] seria inviável , e por razões muito simples: se for na área externa do Teatro, a gente tem uma avenida cuja movimentação é muito grande, então, só se isso, em tese, acontecesse aos finais de semana, em que o movimento de veículos é menor; tem o problema do escoamento de água, com o risco de se transformar num nascedouro de mosquito da dengue; então, eu não sei se haveria a estrutura necessária para que ocorressem apresentações naquela praça”, se preocupa Gilberto Marques Bruno, diretor de relações institucionais do Cetrasa.
    Sobre a Orquestra Filarmônica de Santo Amaro, que tem o Teatro Paulo Eiró como residência oficial, a SMC disse que “os ensaios continuam no mezanino, mas as próximas apresentações serão no Sesc Santo Amaro”.

    Leia mais

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    - Patrocinado -

    Últimas