Aulas presenciais na rede estadual retornam em fases, inicialmente com apenas 20% dos estudantes

0
330

O retorno às aulas será regionalizado, mas ainda não há data prevista para os alunos irem à escola. O Governo pretende implantar um ensino híbrido: uma mistura de atividades presenciais com a tecnologia virtual


De acordo com a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, “não há data definida para volta às aulas presenciais. A retomada das aulas será gradual e regionalizada, seguindo o que os dados científicos sobre a epidemia indicarem em cada região do Estado”.

O que foi decidido é que as aulas presenciais vão retornar em fases: inicialmente, apenas 20% dos estudantes voltam para as escolas e em seguida, 50%; até que todos os 3,5 milhões de alunos retornem juntos.

Depois da pandemia, o Governo pretende implantar um ensino híbrido, uma mistura de atividades presenciais com a tecnologia virtual. “Na retomada das aulas nós vamos trabalhar com o ensino híbrido, ou seja, as crianças vão ter um tempo presencial na escola e vão ter também a oportunidade de ampliar, vão ter o apoio do sistema chamado Centro de Mídias nas suas casas para poder avançar no conhecimento”, disse Haroldo Rocha, secretário-executivo de educação.

O Centro de Mídias SP funciona como uma TV ao vivo, com conteúdo pedagógico e videoaulas, que são transmitidas pelos canais digitais 2.2 – TV Univesp e 2.3 – TV Educação, numa parceria com a TV Cultura. Porém, segundo o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação, 97% das casas no Estado de São Paulo não têm televisão para os alunos assistirem as aulas.

Outro porém é que nem todos os alunos têm utilizado o aplicativo do Centro de Mídias para acessar as aulas pelo celular. Apesar do Governo patrocinar o app, após ter feito um contrato com as principais operadoras de telefonia, para que os alunos não gastem com internet, apenas 1,6 milhão (47%) de alunos, dos 3,5 milhões matriculados na rede estadual, acessaram as aulas online, segundo a Secretaria Estadual de Educação.

“Além dos professores, do treinamento, nós fizemos vários aprimoramentos tecnológicos pra facilitar o acesso, pra facilitar o uso, para haver mais interação, então, tem uma evolução extraordinária aí, e nós estamos muito convencidos de que a gente vai ter uma ferramenta muito importante, inclusive depois dessa fase remota quando as aulas voltarem a ser presenciais”, disse o secretário-executivo da pasta.

Entre os meses de abril e maio, a rede estadual registrou um crescimento 10 vezes maior, em relação ao ano passado, no número de alunos transferidos da rede particular: foram 2.388 estudantes matriculados em 2020, neste dois meses, e apenas 219 alunos matriculados em 2019.

Então, o Governo do Estado anunciou que vai começar a fazer as matrículas de transferência para o segundo semestre pela internet, para evitar aglomerações nas escolas. Essas matrículas, no entanto, podem ser feitas apenas para o ano de 2020, já que as matrículas 2021 ainda não estão abertas.

Na matrícula, o responsável pelo estudante fornece informações e documentos, que serão validados pelas escolas. A matrícula pode ser feita pelo site: https://sed.educacao.sp.gov.br/NCA/PreInscricaoOnline/login


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.