Zona Sul registra mais de 2.500 óbitos por Covid-19, mostra mapa dos distritos

0
143

Os dados apresentados pela Prefeitura mostram uma leve desaceleração do número de mortes nos 96 distritos da capital. E a partir do dia 20 de julho o Governo pretende dar início aos testes da vacina CoronaVac, que está sendo desenvolvida por uma empresa chinesa, em parceria com o Instituto Butantan


De acordo com a Prefeitura de São Paulo, a Zona Sul da capital paulista registrou 2.595 mortes (confirmadas e suspeitas), até o dia 29 de junho.

E os distritos da periferia ainda são os que mais contabilizam óbitos: foram 9 mortes em Marsilac, 39 no Socorro, 72 em Moema, 90 no Campo Belo, 91 em Santo Amaro, 94 no Campo Grande, 100 no Itaim Bibi, 103 em Pedreira, 121 em Parelheiros, 158 no Campo Limpo, 178 em Cidade Dutra, 223 no Jabaquara, 250 na Cidade Ademar, 250 no Jardim São Luís, 259 no Capão Redondo, 268 no Jardim Ângela e 290 no Grajaú.

Os dados apresentados pela Prefeitura mostram uma leve desaceleração do número de mortes nos 96 distritos da capital: apenas a Bela Vista registrou aumento de 20% nos óbitos em relação aos dados apresentados em 18 de junho. O Grajaú, que continua com o maior número de óbitos da Zona Sul registrou apenas 23 mortes a mais, desde o dia 18.

No ranking dos 10 distritos com mais mortes, a Zona Sul continua ocupando seis posições:

• 1º Sapopemba (Zona Leste): 327 mortes

• 2º Brasilândia (Zona Norte): 305 mortes

• 3º Grajaú (Zona Sul): 290 mortes

• 4º Jardim Ângela (Zona Sul): 268 mortes

• 5º Capão Redondo (Zona Sul): 259 mortes

• 6º Sacomã (Zona Sul): 253 mortes

• 7º Cidade Ademar & Jardim São Luís (Zona Sul): 250 mortes cada

• 8º Tremembé (Zona Norte): 234 mortes

• 9º Jabaquara (Zona Sul): 223 mortes

• 10º Cidade Tiradentes (Zona Sul): 212 mortes

O Governo também informou que o Estado registrou queda no número de mortes por Covid-19 com 36 óbitos a menos do que na última semana: foram 1.769 mortes na semana 26 da pandemia e 1.733 mortes na semana 27.

“Atingimos 5% de letalidade em relação ao número de casos do coronavírus. É o índice mais baixo de toda a série história. São boas notícias, sim, mas elas não devem ser celebradas com emoção, mas moderação. Moderação para mantermos o foco nas medidas de controle da pandemia, no aumento da capacidade de atendimento do sistema de saúde em todo o Estado de São Paulo e na obrigatoriedade do uso de máscaras, obediência à legislação e ao distanciamento social”, disse o governador João Doria.

A partir do dia 20 de julho o Governo pretende dar início aos testes da vacina CoronaVac, que está sendo desenvolvida por uma empresa chinesa, em parceria com o Instituto Butantan. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já autorizou que o Instituto Butantan inicie os testes clínicos. Cerca de 9 mil voluntários vão participar dos testes em São Paulo. Se os resultados forem positivos, o Brasil inicia a produção da vacina com distribuição no Sistema Único de Saúde a partir de junho de 2021, de acordo com a previsão do Governo de São Paulo.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.