Zona Sul não tem muitas oportunidades de emprego, relatam moradores em pesquisa

0
280

A pesquisa “Trabalho e Renda – Viver em São Paulo” foi lançada em Santo Amaro e revela dados sobre empregos na capital paulista

 

 

Cerca de 48% dos moradores da Zona Sul acreditam que, nesta região, não há muitas oportunidades de emprego. Além disso, outros 18% também acreditam que a relação de igualdade nas oportunidades de trabalho entre homens e mulheres aumentou.
As informações foram coletadas para a pesquisa “Trabalho e Renda – Viver em São Paulo”, divulgada nesta terça-feira (19), no Sesc Santo Amaro, pela Rede Nossa São Paulo, em parceria com o Ibope.
Cerca de 800 pessoas foram entrevistadas em dezembro de 2018, a maioria mulheres, católicos, todos com mais de 16 anos, sendo 35% moradores da Zona Leste e 31% dos entrevistados moradores da região Sul.
Aproximadamente 52% das pessoas ouvidas na pesquisa relatam que a renda se manteve estável em 2019, e outros 31% percebem que a renda diminuiu. Na Zona Sul, 16% disseram que a renda aumentou, 28% que diminuiu e 52% permaneceram estáveis em seus rendimentos.
Segundo a pesquisa, o item que mais impacta o orçamento doméstico é a alimentação, assim como o aluguel/moradia. De 10 paulistanos, 4 revelam que itens alimentares pesam mais no bolso.
O número de pessoas assalariadas (com ou sem registro) subiu para 34%, em relação a 2018, que marcou 29%. Portanto, o número de desempregados diminuiu de 18% para 15%, sendo que 11% são desempregados que procuram emprego e 4% são desempregados que não estão à procura de uma recolocação no mercado. Do total de desempregados, 28% tem de 16 a 24 anos e a maioria está à procura de emprego.
“O número de desempregados é desesperador. O tempo que a gente passa para atendê-los é desproporcional a necessidade das pessoas. O tempo de desemprego dificulta mais a recolocação no mercado de trabalho. O número de jovens que não estudam e nem trabalham é preocupante porque eles não estão se preparando. Como eles vão se adaptar quando o emprego surgir?”, se perguntou a secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, Aline Cardoso, que participou do lançamento da pesquisa.
Cerca de 22% dos entrevistados gastam mais de 2 horas no trajeto entre trabalho/casa. Os que moram na Zona Sul gastam em média, 1h37min.
- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.