Vigilância Sanitária encerra festa de Carnaval clandestina em Santo Amaro

0
172

O evento reuniu 380 pessoas, a maioria sem máscara. No total, de sexta-feira (12) a domingo (14), a Vigilância Sanitária Estadual aplicou 39 multas, na capital paulista, por flagrante de aglomeração e falta do uso de máscara. O Carnaval foi cancelado pela Prefeitura e Governo de São Paulo para evitar aglomerações e o aumento de casos de Covid-19


A Prefeitura de São Paulo cancelou definitivamente o Carnaval na cidade para evitar aglomerações, devido a pandemia da Covid-19. E, apesar de não haver desfiles no Sambódromo e nas ruas da capital, muita gente insistiu em desobedecer às regras sanitárias e se reuniram em festas clandestinas.

No último domingo (14), a Vigilância Sanitária Estadual e a Polícia Militar encerraram uma festa clandestina que reuniu 380 pessoas em Santo Amaro. A maioria das pessoas estava sem máscara. O organizador da festa foi autuado.

No total, de sexta-feira (12) a domingo (14), a Vigilância Sanitária Estadual aplicou 39 multas, na capital paulista, por flagrante de aglomeração, falta do uso de máscara e violação do horário de funcionamento, já que o Plano São Paulo prevê que bares e restaurantes funcionem até às 22h com 40% do público e festas estão proibidas. Além das multas, 17 estabelecimentos foram fechados.

O Código Sanitário prevê multa de até R$ 290 ao estabelecimento comercial. O bar paga R$ 5.278 por cada pessoa flagrada sem máscara e cada cliente é multado em R$ 551 por não usar a proteção.

Desde sexta-feira (12) a Polícia Militar passou a intensificar o patrulhamento na cidade para conter aglomerações nesse período de Carnaval cancelado. Até o dia 17 de fevereiro, as Polícias Militar, Civil e a Guarda Civil Metropolitana farão ações de vigilância.

“O plano é sempre fazer a prevenção, evitar aglomerações, impedir que festas se realizem nos locais onde geralmente se espera que ocorram, como uma escola de samba. As pessoas que desrespeitarem a lei podem ser detidas e conduzidas para uma delegacia onde serão autuadas por terem cometido crime contra a saúde pública”, explicou o promotor Arthur Pinto de Lemos Júnior, coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal do Ministério Público.

CARNAVAL ONLINE

Por causa da pandemia da Covid-19, a programação de Carnaval vai ser online para que as pessoas respeitem o distanciamento social, essencial para evitar o contágio pelo novo coronavírus.

“É um Carnaval possível no momento em que vivemos. Hoje, o mais importante é resguardar a saúde dos milhares de profissionais envolvidos na festa e dos foliões. Inspirados pela letra do mestre Chico Buarque, estamos nos guardando para quando o Carnaval chegar”, explica o secretário municipal de Cultura, Alê Youssef.

O Festival Tô Me Guardando vai acontecer até o dia 28 de fevereiro com 380 atividades. Confira a programação completa do Festival Tô Me Guardando: https://cutt.ly/JkKJ986


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.