Viaduto construído há pouco mais de um ano pelo Governo, tem pontos de alagamento no Campo Belo

0
197

Morador reclama que é um “absurdo” um equipamento novo apresentar problemas. Prefeitura e Governo do Estado, porém, não se entendem para definir de quem é a responsabilidade pela manutenção e limpeza


As chuvas de verão chegaram com tudo neste início de 2020. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, nos primeiros 10 dias do ano já choveu mais do que o esperado: foram 203mm de chuva, sendo que a média é 288mm, ou seja, já choveu 71% do total previsto para o mês de janeiro.

A receita é a mesma em todas as regiões da cidade: o dia começa abafado e, no final da tarde, quando todos os paulistanos estão retornando para casa, cai uma tempestade. Tudo fica pior com os alagamentos e enchentes que impossibilitar continuar o trajeto.

Há pouco mais de um ano, moradores do Campo Belo convivem com essa situação em um local onde não deveria ocorrer incidentes: no Viaduto Campo Belo, entregue à população em dezembro de 2018 e que, mesmo novo, virou mais um ponto de alagamento na cidade.

“Como cidadão paulistano pagador de impostos, manifesto a minha perplexidade com relação ao viaduto construído há menos de 1 ano sobre a estação Campo Belo, na Av. Sto. Amaro. Sempre que chove, ainda que muito pouco, a via sentido bairro-centro, quase no final e no encontro com o piso da avenida, tem seu lado direito totalmente empoçado e inundado, com a água em grande quantidade e quase chegando na pista oposta. Passo todo dia neste viaduto ao retornar do trabalho e isto é uma constante: basta apenas uma chuva fraca para alagar um comprimento de 10, 15 metros ou mais da faixa. É um absurdo, principalmente considerando que o equipamento é novo!”, reclamou Paulo Sérgio Pecchio, morador da região.

O viaduto foi construído pelo Metrô de SP, como parte das obras da Estação Campo Belo da Linha 5-Lilás. Com investimento de, aproximadamente, R$ 40 milhões, a via tem 336 metros de comprimento, seis faixas (três em cada sentido) e permite circulação de carros, caminhões e ônibus.

O Governo de SP informou que “não é de responsabilidade do Metrô a manutenção dos serviços de limpeza do sistema de drenagem e escoamento d’agua no local” e que “constatou que a estrutura do viaduto não apresenta problema. O acúmulo de água é causado por resíduos que bloqueiam o sistema de drenagem e a limpeza de vias públicas é de responsabilidade da Prefeitura”.

A Prefeitura, no entanto, afirma que o viaduto é responsabilidade do Governo do Estado.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.