14.4 C
São Paulo
quinta-feira, 30 junho, 2022
Mais

    UNIP apresenta em live pesquisa realizada na Antártica

    Mais lidas

    Pesquisadores do Grupo Atividades Biológicas, Farmacológicas e Toxicológicas de Produtos Naturais, ligado ao Núcleo de Pesquisas em Biodiversidade e ao Programa de Pós-Graduação em Patologia Ambiental e Experimental da Universidade Paulista – UNIP, realizam estudos com musgos coletados na Antártica, em colaboração com a Universidade Católica de Brasília (UCB) – instituição que é sede da pesquisa – e com a Universidade de Brasília (UNB), como parte do Programa PROANTAR, do CNPq, desde 2019.

    A aluna de Doutorado Amanda Leal da Silva, orientanda da Profa. Dra. Ivana Suffredini, ambas da UNIP, desenvolve estudos que exploraram o potencial farmacológico de extratos obtidos de musgos coletados na Antártica, quanto à atividade antitumoral, antibacteriana, antioxidante e na inibição da enzima envolvida no desenvolvimento do mal de Alzheimer, a acetilcolinesterase.

    A experiência no estudo de prospecção de atividades farmacológicas de extratos de plantas Amazônicas dos pesquisadores do Grupo fornece o suporte necessário para que a pesquisa seja realizada.

    Em duas expedições à Antártica foi possível coletar as amostras, que estão sendo processadas e analisadas. A expectativa para a entrega dos resultados da pesquisa ainda em 2022 é grande.

    Para apresentar ao público informações sobre essa relevante pesquisa, as redes sociais da UNIP realizam amanhã, 18 de maio, às 17h, a live “Vegetação Antártica – O que podemos estudar?”.

    A live será conduzida pelas palestrantes Amanda Leal da Silva e pela Profa. Dra. Ivana Suffredini.

    Acesse:
    https://www.youtube.com/user/UNIPOficial
    https://www.linkedin.com/school/unip/
    https://www.facebook.com/UNIPoficial


    SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

    Leia mais

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    - Patrocinado -

    Últimas