Serviço da Prefeitura resgata autoestima de pessoas com quadros de dor crônica

0
817

Capital conta com quatro unidades do Centro de Referência da Dor Crônica (CR Dor)


Quem vê a dona de casa Maria de Fátima Jordão, 55 anos, hoje, não imagina a transformação que ela passou após ser acolhida, em fevereiro deste ano, no Centro de Referência da Dor Crônica (CR Dor) Bosque da Saúde para tratar um quadro de artrose e hérnia de disco. “Eu passei seis anos buscando o tratamento adequado na rede privada. Hoje eu estou 95% e faço de tudo”, descreve ela, que também é empresária e trabalha como atendente em uma loja de bolsas.

A unidade localizada na região sudeste, citada por Maria de Fátima, foi o primeiro centro especializado no tratamento de dores crônicas aberto pela Prefeitura de São Paulo na capital, em março de 2021, para oferecer mais qualidade de vida e bem-estar aos pacientes. Desde então, foram entregues outros três, o CR Dor Parque Maria Helena, na região sul, em outubro de 2022; o CR Dor Leste, em dezembro de 2022 e o CR Dor Pirituba, na zona norte, inaugurado há pouco mais de um mês, em 18 de julho.

Esses equipamentos oferecem assistência integral ao paciente com quadros recorrentes de dor crônica com o intuito de melhorar sua qualidade de vida a partir do cuidado de diferentes especialidades, a exemplo de fisiatria, reumatologia, neurologia, ortopedia, fisioterapia e terapia ocupacional.

“Desde 2017 eu me privei de diversas atividades em razão da dor na coluna que eu sentia. Eu mal conseguia vestir as minhas próprias roupas e ainda ouvi, por muito tempo, que devia me aposentar por invalidez”, conta Maria de Fátima que, ao longo dos últimos cinco meses, tem passado por consultas recorrentes com médico de dor, fisioterapeuta, psicólogo e acupunturista no Bosque da Saúde.

Esses centros atendem a adultos e adolescentes acima de 13 anos com histórico de tratamento de dor crônica de no mínimo três meses, independentemente da especialidade médica ou cirúrgica, desde que a pessoa não tenha apresentado melhora com os tratamentos preconizados ou medicamentos prescritos pelos profissionais das equipes multiprofissionais de outros equipamentos da rede municipal. O acompanhamento no CR Dor se dá até o momento da alta médica; caso o quadro de dor retorne ou mude de característica, nova avaliação poderá ser agendada.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.