Reduzir gravidez na adolescência é prioridade em saúde

0
1039

Impactos incluem riscos para a mãe e o bebê


Informação e acesso a métodos contraceptivos são dois recursos essenciais para combater a gravidez na adolescência (10 a 19 anos), situação vista como um problema de saúde pública, uma vez que implica em riscos à vida da mãe e do bebê, além dos impactos sociais que representa, como a perpetuação do ciclo de pobreza.

De acordo com a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), um em cada sete bebês nascidos no Brasil são filhos de mães adolescentes. Em 2019, segundo o Datasus, sistema do Ministério da Saúde (MS), adolescentes de 10 a 14 anos foram responsáveis por 19.330 nascimentos.

Veja algumas das consequências da gravidez na adolescência, para a mãe e o bebê

Riscos obstétricos: pré-eclâmpsia; desproporção pélvica-fetal; gravidez gemelar; complicações rante o parto; cirurgia cesariana de urgência; infecções durante e pós-parto.

Riscos da gravidez para a adolescente: depressão e psicose puerperal; abandono do recém-nascido (RN) em instituições; rejeição do RN do convívio familiar; ausência de amamentação; abandono/omissão de paternidade; acompanhamento pediátrico falho; esquema de vacinação incompleto; abandono escolar, bullying; baixa qualificação profissional da mãe.

Riscos para o recém-nascido (RN): Prematuridade; Pequeno para idade gestacional; Baixo peso (retardo intrauterino); Dismorfias, síndromes congênitas (Síndrome de Down, defeitos neurais); Infecções congênitas (sífilis, herpes, toxoplasmose, hepatites B/C, Zika, HIV/aids); Necessidade de UTI neonatal; Traumatismos e repercussões do parto (hipóxia, paralisia cerebral); Dificuldades de amamentação; Risco de negligência, ambiente insalubre.

Reduzir os índices de gravidez entre adolescentes é uma das metas em saúde pública preconizadas pela OMS. Em 2019, a Lei Federal nº 13.798 instituiu no Brasil, sempre em fevereiro, a Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, que passou a integrar o Estatuto da Criança e do Adolescente. O objetivo é disseminar informações sobre medidas preventivas e educativas que contribuam para a redução da incidência da gravidez nesta fase.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.