Prefeitura e parlamentares paulistas reivindicam permanência do GP de Fórmula 1 em Interlagos

0
677

A discussão sobre o futuro do GP na capital paulista começou quando o presidente Jair Bolsonaro manifestou interesse de levar o campeonato para o Rio de Janeiro em 2020

 

O prefeito Bruno Covas e deputados federais se reuniram, na última terça-feira (13), para discutir a permanência do Grande Prêmio de Fórmula 1 no Autódromo de Interlagos, na Zona Sul da capital.
A discussão sobre o futuro do GP na cidade começou quando o presidente Jair Bolsonaro assinou, na semana passada, um termo de cooperação com a iniciativa privada para levar o campeonato para o Rio de Janeiro, no próximo ano. O presidente justificou que a participação pública tornou o evento inviável em São Paulo.
“A direção da Fórmula 1 decidiu manter um Grande Prêmio no Brasil. No entanto, São Paulo se tornou inviável pela causa da participação pública no evento e a dívida existente. O novo autódromo será construído em seis ou sete meses. O setor hoteleiro ficará feliz, a economia do Estado também, já que serão sete mil empregos gerados”, disse o presidente.
Na reunião entre Prefeitura e parlamentares paulistas, ficou acertado que um manifesto será levado à Brasília com justificativas para que o GP permaneça em São Paulo, como “o impacto positivo de R$ 334 milhões na economia, promovida pelo grande número de turistas que pegam táxis, frequentam restaurantes e ficam hospedados em hotéis”, segundo a Prefeitura.
O prefeito Bruno Covas pediu isonomia ao presidente, quanto ao tratamento que ele pretende dar ao Rio de Janeiro, caso o campeonato aconteça na cidade. “Não há nenhum impeditivo para que esse contrato possa ser prorrogado. A cidade de São Paulo não tem nenhuma dívida que a impeça de sediar o Grande Prêmio. Por isso, solicitamos tratamento de isonomia e a mesma ajuda dada à cidade do Rio de Janeiro”, disse o prefeito.
Em nota, o Governo de São Paulo e a Prefeitura de São Paulo informaram que “há um contrato em vigor com a empresa responsável pela organização do GP Brasil de F1, válido até dezembro de 2020”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.