Prefeitura de SP inicia vacinação para profissionais da saúde, indígenas e idosos em abrigos

0
20

A Prefeitura tem 215 mil doses para essa primeira fase e espera receber mais 215 mil nos próximos 15 dias para a segunda imunização de funcionários da saúde, idosos em abrigos e indígenas. A gestão municipal alertou que, neste primeiro momento, idosos que não moram em instituições de longa permanência não devem procurar as Unidades Básicas de Saúde, pois serão vacinados em uma segunda fase


No mesmo dia em que o Estado de São Paulo atinge mais de 50 mil mortes por Covid-19, o Estado também atinge a marca de mais de 7 mil profissionais da Saúde vacinados contra a doença.

O Governo lançou até um “Vacinômetro” para que a população possa acompanhar quantas pessoas estão sendo vacinadas diariamente. Os dados estão disponíveis no site: https://www.saopaulo.sp.gov.br/

A vacinação, que começou no último domingo (17), vai priorizar os profissionais da Saúde e, nesta primeira fase vacinará 700 mil dos 1,5 milhão de funcionários do Estado. “O nosso 1,4 milhão de doses que estão em São Paulo conseguem proceder a vacinação de 700 mil pessoas, porque eu preciso dar duas doses. Só nossa população de trabalhadores da saúde, 1,5 milhão de pessoas, precisam de 3 milhões de doses. Dessa maneira, precisamos de mais vacinas disponíveis”, disse o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn.

Já na capital paulista, além dos profissionais da Saúde de hospitais públicos e privados que atuam diretamente com pacientes infectados, os cerca de 15 mil idosos que moram em abrigos e indígenas aldeados também estão na primeira lista de prioridades.  

Nesta terça-feira (19), a Prefeitura de São Paulo iniciou a vacinação na cidade imunizando a técnica de enfermagem Helen Cristina de Camargo, funcionária do Hospital Municipal de Pirituba, na Zona Norte.

A Prefeitura tem 215 mil doses para essa primeira fase e espera receber mais 215 mil nos próximos 15 dias para a segunda imunização de funcionários da saúde, idosos em abrigos e indígenas.

A Prefeitura também alertou que, neste primeiro momento, idosos que não moram em instituições de longa permanência não devem procurar as Unidades Básicas de Saúde. “Assim que acontecer o recebimento de novas remessas do imunizante, num segundo momento, serão incluídos na campanha, de forma escalonada, os demais profissionais de Saúde e outros públicos prioritários, como idosos acima dos 75 anos”, informou a gestão municipal.

Na cidade de São Paulo, a campanha de vacinação para toda a população vai acontecer em cerca de 3 mil locais:

  • nas 468 Unidades Básicas de Saúde;
  • em 1.000 escolas, como os CEUs;
  • em 1.000 equipamentos de Saúde como AMAs, UPAs e Pronto-Socorros;
  • em 1.000 postos satélites como praças, shoppings, estações de metrô e terminais de ônibus.

SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.