Após SP iniciar vacinação contra a Covid-19, Ministério da Saúde começa a distribuir imunizante pelo Brasil

0
36

A primeira pessoa a ser imunizada com a vacina Coronavac foi uma mulher, negra e profissional da saúde: Mônica Calazans, 54 anos, moradora da Zona Leste da cidade de São Paulo. De acordo com o Ministério da Saúde, seis milhões de doses da Coronavac começam a ser distribuídas hoje (18) para todos os estados do Brasil


No último domingo (17), o Brasil viveu um dia histórico e muito esperado: a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial de duas vacinas e a primeira imunização foi realizada.

A primeira pessoa a ser vacinada foi uma mulher, negra e profissional da saúde: Mônica Calazans, 54 anos, moradora da Zona Leste da cidade de São Paulo. “Estou na pandemia desde o início, há 10 meses. Trabalhando incansavelmente, em dois hospitais. Falo com segurança e com propriedade: não tenham medo. É a grande chance que a gente tem de salvar mais vidas. Vamos nos vacinar”, disse Mônica.

A profissional foi imunizada com a vacina Coronavac, produzida pela farmacêutica Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. A vacinação aconteceu logo após a aprovação da Anvisa que também liberou a vacina produzida pela Universidade de Oxford.

Além de Mônica Calazans, outros 112 profissionais da Saúde foram imunizados também no domingo (17), de acordo com o Governo de São Paulo.

O Hospital das Clínicas iniciou uma megaoperação de vacinação para imunizar seus 30 mil funcionários e, nesta segunda-feira (18) deve vacinar 1.000 deles em apenas em 12 horas (das 7h às 19h).  

Além disso, doses serão distribuídas para seis hospitais de referência no Estado: os Hospitais das Clínicas de Ribeirão Preto, Campinas, Botucatu, Marília e o Hospital de Base de São José do Rio Preto.

De acordo com o Ministério da Saúde, seis milhões de doses da Coronavac começam a ser distribuídas hoje (18) para todos os Estados do Brasil e Distrito Federal.

As vacinas serão transportadas por caminhões com áreas de carga refrigeradas, por aviões da Força Aérea Brasileira e, gratuitamente, por aviões das companhias aéreas Azul, Gol, Latam e Voepass. Ao chegarem nas capitais, os governos estaduais têm a responsabilidade de fazer a distribuição para os munícipios.

Das seis milhões de doses:

  • 296.520 vão para a Região Norte;
  • 1.200.560 vão para a Região Nordeste;
  • 681.120 vão para a Região Sul;
  • 415.880 vão para a Região Centro-Oeste;
  • 2.493.280 vão para a Região Sudeste, sendo 1.349.200 apenas para o Estado de São Paulo.

O grupo prioritário do Ministério da Saúde inclui: profissionais da Saúde, idosos e indígenas.

SITE PARA PRÉ-CADASTRO DE VACINAÇÃO

O Governo de São Paulo lançou um site para que profissionais da Saúde e indígenas, pessoas do grupo prioritário, possam fazer um pré-cadastro da vacinação, uma maneira de agilizar o processo.

“O pré-cadastro não é um agendamento, mas vai garantir um atendimento mais rápido nos locais de vacinação e evitar a formação de aglomerações. O fornecimento das informações é opcional, mas a participação de cada um vai ajudar toda a sociedade”, informa o Governo.

Além de não ser agendamento, o pré-cadastro também não é obrigatório para a vacina. Quem for do grupo prioritário e não puder fazer o pré-cadastro será vacinado da mesma forma.

O pré-cadastro pode ser feito no site do Vacine Já: https://www.vacinaja.sp.gov.br/


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.