Prefeitura abre inscrições para contratar mães de alunos para fiscalizar protocolos contra a Covid-19

0
21

O Programa Operação Trabalho – Volta às Aulas é voltado para mães de alunos e mulheres entre 18 e 50 anos que morem perto das escolas municipais. Ao todo, são 4.590 vagas. O trabalho tem duração de seis meses, entre fevereiro e julho, e cada escola vai contratar três mulheres


Depois de retomar as aulas presenciais em quase todas as escolas municipais, a Prefeitura vai contratar mães de alunos para trabalharem na monitoria dos protocolos sanitários de combate à Covid-19.

O Programa Operação Trabalho – Volta às Aulas é voltado para mães de alunos e mulheres entre 18 e 50 anos que morem nas comunidades onde elas estão situadas. Ao todo, são 4.590 vagas.

“Ações como essa são importantes para contribuir com as famílias que contam, muitas vezes, apenas com as mulheres para garantirem o sustento da casa. Nessa atividade, as mães atuarão como ‘guardiãs dos protocolos sanitários’ dos alunos”, afirma Aline Cardoso, secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo.

Para uma jornada de trabalho de 30 horas semanais (seis horas por dia), cada mulher contratada vai receber R$ 1.155 por mês. O trabalho tem duração de seis meses, entre fevereiro e julho, e cada escola vai contratar três mulheres.

De acordo com a Prefeitura, o investimento no Programa Operação Trabalho – Volta às Aulas será de R$ 31,8 milhões.

As funcionárias terão as seguintes responsabilidades:

  • uso correto da máscara e utilização de álcool gel;
  • monitorar o cumprimento das normas de distanciamento social;
  • apoio às boas práticas de higienização e segurança, como aferição de temperatura, higienização de equipamentos escolares e ambientes de uso coletivo.

“As mulheres foram diretamente impactadas na pandemia, sobretudo, na saúde mental. Muitas ficaram sem trabalho ou mesmo no home-office. A sobrecarga mental delas, que já é grande, só aumentou. Portanto, essa iniciativa foi tomada pensando na saúde das mães e, claro, nos filhos que retornam ao convívio escolar com a segurança necessária e o acolhimento delas”, salienta o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido dos Santos.

As inscrições estão abertas até a próxima quinta-feira (18), até 17h, e devem ser realizadas nas próprias escolas da região onde as candidatas moram.

Como critérios de candidatura, as mulheres devem estar há mais de quatro meses desempregadas e ter renda familiar de até meio salário mínimo por pessoa da família. As candidatas serão convocadas, com dia e horário marcado pelo Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo, para entregar RG, CPF, carteira de trabalho e comprovante de residência.

Antes do início do trabalho nas escolas, as mulheres selecionadas receberão capacitação online, promovida pela Escola Municipal de Educação Profissional e Saúde Pública Professor Makiguti.

E, enquanto trabalharem no Programa Operação Trabalho – Volta às Aulas, é obrigatório cumprir um curso de qualificação profissional de 24 horas mensais, realizado pelo Portal do Cate.

Serviço: PROGRAMA OPERAÇÃO TRABALHO – VOLTA ÀS AULAS

Inscrições: até as 17h de quinta-feira (18) nas escolas municipais

A convocação para a entrega da documentação será feita por e-mail e telefone.

Pré-requisitos para participar da seleção:

  • Ter entre 18 e 50 anos;
  • Morar na capital paulista;
  • Ter renda familiar de até meio salário mínimo por pessoa da família;
  • Estar com a situação cadastral do CPF regular junto à receita federal;
  • Estar desempregada há mais de quatro meses e não estar recebendo seguro-desemprego;
  • Entregar autodeclaração de inexistência de doenças preexistentes e não pertencer aos grupos de risco da Covid-19.

VOLTA ÀS ESCOLAS

Depois das escolas particulares e da rede pública estadual, chegou a vez dos alunos que estudam na rede pública municipal voltarem às escolas. O ano letivo presencial para 35% dos estudantes das escolas municipais começou na última segunda-feira.

Apesar da expectativa para a volta, nem todos os alunos retornaram: das 4 mil escolas municipais, em 580 unidades as aulas continuam apenas online. Isso porque em 530 não há funcionários suficientes para a limpeza e em outras 50 escolas as reformas iniciadas durante a pandemia ainda não terminaram.

A previsão, então, é que nessas escolas as aulas presenciais recomecem em 22 de fevereiro ou 1º de março. “A volta às aulas não deve ser uma queda de braço, não temos que abrir escola de qualquer jeito. Se não tiver condições, a orientação da secretaria é para que a unidade permaneça fechada, seja identificado o problema e dado o encaminhamento correto”, disse Fernando Padula, secretário municipal de Educação.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.