Prefeitura retoma aulas na rede pública com mais de 500 escolas ainda fechadas

0
20

Apesar da expectativa para a volta, nem todos os alunos vão retornar: das 4 mil escolas municipais, em 580 unidades as aulas continuam apenas online. Isso porque em 530 não há funcionários suficientes para a limpeza e em outras 50 escolas as reformas iniciadas durante a pandemia ainda não terminaram


Depois das escolas particulares e da rede pública estadual, chegou a vez dos alunos que estudam na rede pública municipal voltarem às escolas. Começa hoje (15), o ano letivo presencial para 35% dos estudantes das escolas municipais.

Apesar da expectativa para a volta, nem todos os alunos vão retornar: das 4 mil escolas municipais, em 580 unidades as aulas continuam apenas online. Isso porque em 530 não há funcionários suficientes para a limpeza e em outras 50 escolas as reformas iniciadas durante a pandemia ainda não terminaram.

A previsão, então, é que nessas escolas as aulas presenciais recomecem em 22 de fevereiro ou 1º de março. “A volta às aulas não deve ser uma queda de braço, não temos que abrir escola de qualquer jeito. Se não tiver condições, a orientação da secretaria é para que a unidade permaneça fechada, seja identificado o problema e dado o encaminhamento correto”, disse Fernando Padula, secretário municipal de Educação.

Segundo a Prefeitura de São Paulo, a empresa responsável pela limpeza das escolas abandonou o contrato e agora “a contratação emergencial [de uma nova empresa] está em andamento e, seguindo os trâmites legais, será finalizada nos próximos dias”.

Apesar do protocolo sanitário decretar que as escolas devem receber apenas 35% dos alunos, uma pesquisa da Prefeitura revelou que 33% dos pais e mães preferem manter o ensino virtual, devido a preocupação com o contágio do vírus.

Na rede estadual, por exemplo, o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo revelou várias escolas em que houve casos de contaminação pela Covid-19, inclusive algumas na Zona Sul da capital:

  • E.E. Professor César Yásigi – Jardim Macedônia
  • E.E. Lauro Pereira Travassos – Vila Missionaria
  • E.E. Plínio Negrão – Vila Cruzeiro
  • E.E. Carlos De Moraes – Grajaú
  • E.E. Afiz Gebara – Campo Limpo
  • E.E. Samuel Morse – M’Boi Mirim
  • E.E. João Goulart – Grajaú
  • E.E. Oswald Andrade – M’Boi Mirim

De acordo com o Governo de São Paulo, “todas as escolas da rede estadual vão obedecer a uma série de critérios para receber alunos, professores e servidores. Ao adentrarem nas unidades, todas as pessoas terão a temperatura aferida. Quando estiver acima de 37,5 graus, será orientado o retorno para casa. Estudantes e servidores devem lavar as mãos com água e sabão ou higienizar com álcool em gel 70% ao entrar na escola. É obrigatório o uso de máscara de tecido dentro da escola. Os servidores devem utilizar além da máscara de tecido, o face shield (protetor de face) durante sua jornada laboral presencial”.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.