Moradores da Zona Sul protestam contra limitação nos prontos-socorros de Pedreira e Grajaú

0
41

Começa nesta segunda-feira (1º) a restrição no atendimento em quatro prontos-socorros estaduais da capital paulista. Pacientes que não estiverem em estado grave deverão se encaminhar para uma Unidades de Referência, que os encaminhará para um PS, caso necessitem de atendimento urgente


A partir desta segunda-feira (1°) quem precisar de atendimento médico não urgente e se encaminhar aos prontos-socorros dos Hospitais Estaduais de Pedreira e do Grajaú, pode não ser atendido.

Isso porque, mesmo com o aumento dos casos de Covid-19, o Governo de São Paulo limitou o atendimento médico nesses hospitais, e também nos Hospitais Estaduais da Vila Alpina e Itaim Paulista, ambos na Zona Leste, com a justificativa de que casos menos graves podem prejudicar o atendimento de pacientes diagnosticados com Covid-19.

Sendo assim, pacientes que precisarem de um atendimento menos grave deverão se encaminhar para uma Unidades de Referência, que os encaminhará para um pronto socorro, caso necessitem de atendimento urgente.

“Esses atendimentos mais leves representam 80% dos atendimentos dos prontos-socorros. A dor de cabeça, a dor nas costas, a necessidade de trocar uma receita. Esses casos ainda serão atendidos nos prontos-socorros, mas serão orientados para que busquem atendimento nas unidades básicas próximas das suas residências. Se alguém em estado grave procurar diretamente essas unidades, ele também será atendido. Isso é importante. As unidades não fecham suas portas para a população, eles só ajustam ao atendimento aos casos mais graves, que excepcionalmente podem ser procurados diretamente no pronto-socorro”, justificou Eduardo Ribeiro, secretário executivo da Saúde do Estado.

Na última sexta-feira (29), moradores da Zona Sul e membros do Conselho Municipal de Saúde foram até o Hospital Geral de Pedreira para protestar contra a medida. “Nós do Movimento Popular de Saúde Capela do Socorro como todos os demais participantes (lideranças comunitárias, sindicato, MPSP/M, Conselheiros Gestores de Saúde e Sociedade Civil) repudiamos essa tomada de decisão sem as devidas discussões e participação popular. O HGG [Hospital Geral do Grajaú] é patrimônio público, é SUS, é do povo é de todos nós…”, disse o Movimento Popular de Saúde Capela do Socorro.

No Hospital Geral do Grajaú já há uma placa informando sobre o novo modelo de atendimento do pronto socorro Adulto. “Neste formato, o Pronto-Socorro será referenciado, ou seja, atenderá apenas casos oriundos de UBSs, AMAs e Prontos-Socorros pactuados com a Coordenadoria de Saúde local”.

As unidades de referência da Capela do Socorro são:

  • Pronto-Socorro Balneário São José
  • Pronto-Socorro Maria Antonieta F. de Barros
  • AMA Castro Alves
  • AMA Maria Antonieta
  • AMA Jardim Icaraí
  • AMA Jardim Mirna
  • AMA Jardim Campinas
  • AMA Parelheiros

O Governo de São Paulo informou que “atua com base no monitoramento e no planejamento da rede, visando salvar vidas e assegurar atendimento igualitário” e que trabalha com a previsão da rede primária absorver casos de menor complexidade.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.