Ministério da Saúde divulga plano preliminar de vacinação contra Covid-19

0
22

O calendário de imunização, que deve começar em março, prioriza profissionais da saúde, idosos, professores, indígenas e profissionais da segurança pública: cerca de 109 milhões de pessoas. O Governo de SP criticou a data de início da vacinação pois pretende imunizar a população paulista a partir de janeiro de 2021


O Ministério da Saúde definiu o calendário da vacinação contra a Covid-19 elencando a ordem dos grupos, cerca de 109 milhões de pessoas, que devem ser imunizados de maneira urgente. Portanto, nem toda a população brasileira será vacinada em 2021. Confira a ordem de vacinação:

FASE 1: profissionais da saúde, idosos com mais de 75 anos, idosos com mais de 60 anos que moram em asilos ou instituições psiquiátricas, população indígena;

FASE 2: idosos de 60 a 74 anos;

FASE 3: pessoas com comorbidades, como quem tem doença crônica ou cardiovascular;

FASE 4: professores, profissionais da segurança pública e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

Apesar deste plano preliminar, o Governo Federal afirmou que o plano oficial de imunização só estará pronto quando uma vacina for registrada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). “É importante destacar que o plano que está sendo discutido ainda é preliminar e sua validação final vai depender da disponibilidade, licenciamento dos imunizantes e situação epidemiológica de cada região”, disse o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros.

A previsão é que a vacinação comece a partir de março de 2021, data criticada pelo governador João Doria que prevê iniciar a vacinação com a Coronavac a partir de janeiro.

“Por que iniciar em março se podemos fazer já em janeiro? Vamos perder mais 60 mil vidas para aí iniciar a imunização? Eu indago se os membros do Governo Federal não enxergam, não leem e não registram o fato de que temos mais de 500 brasileiros que morrem todos os dias de Covid-19. É surpreendente essa indiferença, esse distanciamento e falta de compaixão com vidas de brasileiros. Em São Paulo, de forma responsável, seguindo a lei, nós, no próximo mês, cumprindo o protocolo com a Anvisa, obedecendo os princípios de proteção à vida, vamos iniciar a imunização dos brasileiros de São Paulo em janeiro. Não vamos aguardar março”, disse Doria.

No dia 19 de novembro, o Governo de SP recebeu 120 mil doses da vacina Coronavac e nesta quinta-feira (3) recebeu 600 litros de insumos para fabricação da vacina no Instituto Butantan, parceiro da empresa chinesa Sinovac, criadora da vacina.

“As vacinas [coronavac] já começam a ser produzidas no final de semana. Então, no início da semana, essas doses já estarão prontas, serão formuladas, envasadas e, aí sim, de forma adequada, estocadas esperando a liberação dos órgãos regulatórios”, disse Jean Gorinchteyn, secretário estadual de Saúde. Para a próxima segunda-feira (7), o Governo de SP prevê divulgar o calendário estadual de imunização.

No momento, o Brasil tem quatro vacinas em testes: Oxford e AstraZeneca; Coronavac; Pfizer e BioNTech; e Janssen.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.