Mapa mostra mais de 200 mortes por coronavírus nas Subprefeituras da Zona Sul de SP

0
492

No total, na cidade de São Paulo foram confirmadas, no mapa, 1.200 mortes pela doença, o dobro dos números oficiais, entre os dias 23 de fevereiro e 11 de abril. O que chama a atenção é que a doença está avançando para a periferia da cidade


De acordo com um mapa divulgado pela Prefeitura de São Paulo, as subprefeituras da Zona Sul da capital Paulista tem mais de 200 mortes (confirmadas e suspeitas) por coronavírus. O mapa corresponde a última semana epidemiológica, ou seja, entre 9 e 15 de abril.

No total, na cidade de São Paulo foram confirmadas, no mapa, 1.200 mortes pela doença, o dobro dos números oficiais, entre os dias 23 de fevereiro e 11 de abril. O que chama a atenção é que a doença está avançando para a periferia da cidade.

Segundo o mapa, são 45 mortes na Vila Mariana, 42 na Capela do Socorro, 33 em Pinheiros, 27 no M’Boi Mirim, 25 no Campo Limpo, 24 em Cidade Ademar, 22 em Santo Amaro, 16 no Jabaquara e 7 em Parelheiros.

Em outras regiões da cidade, foram registradas mais mortes nas Subprefeituras da Penha (79), Mooca (67), Casa Verde (63), Sé (61), Itaquera (60) e Freguesia do Ó/Brasilândia (55).

Os números do mapa, no entanto, diferem dos dados oficiais da Secretaria de Saúde e Ministério da Saúde por causa do atraso na realização de exames. Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, 61% dos 6.193 pacientes internados em UTIs, por coronavírus, ainda não tem exame confirmado para a doença.

Na Zona Sul, o Hospital Geral de Pedreira é o único que tem mais de 70% dos seus leitos de enfermaria e UTI quase totalmente ocupados com pacientes infectados pelo coronavírus.

Os outros hospitais mencionados por ocupação de UTI são: Hospital Emílio Ribas: 100%; Hospital Geral Vila Nova Cachoeirinha: 86%; Hospital das Clínicas: 83%; Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos: 67% e Hospital São Paulo: 62%.

Já por ocupação de pacientes com coronavírus na enfermaria: Hospital Geral Vila Nova Cachoeirinha: 86%; Instituto Emílio Ribas: 80% Hospital São Paulo: 73%; Hospital das Clínicas: 73% e Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos: 71%.

“Isso mostra claramente a pressão no sistema público de saúde através da observação de grandes hospitais na região metropolitana de São Paulo. Nós temos hospitais já com números elevados de pacientes na enfermaria e na unidade de terapia intensiva”, disse David Uip, coordenador do Centro de Contingência contra o Coronavírus.

Nesta sexta-feira (17), o número de mortes no Estado de São Paulo chegou a 928, com 12.841 casos confirmados. No Brasil, foram registradas 2.141 mortes e 33.682 casos confirmados da doença.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.