Maioria dos produtores rurais da Zona Sul ganham menos de um salário mínimo

0
227

Dados coletados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano revelam que 78% dos produtores rurais da Zona Sul vivem da produção agrícola


Cerca de 54% dos produtores rurais da Zona Sul recebem menos de um salário mínimo. Por outro lado, 4% dos agricultores têm renda bruta agrícola acima de 10 mil reais por mês. Essas disparidades explicam o fato de que 41% dos produtores exercem outra atividade fora de suas propriedades.

Estes dados foram revelados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU), por meio do Projeto Ligue os Pontos, que promove o desenvolvimento sustentável no ambiente rural.

Na Zona Sul, o projeto acontece nos distritos de Parelheiros e Grajaú. No mês de agosto foi realizado uma série de encontros com agricultores da região para apresentação do cadastro das Unidades de Produção Agropecuária (UPAs).

Pelo cadastro foi verificado que 65% da mão de obra é familiar, sendo apenas 4% de trabalhadores contratados. Além disso, cerca de 130 UPAs têm mais de 20.000 m². Em torno disso: a maioria dos produtores agrícolas (64%) são donos das propriedades e 78% deles vivem desse trabalho.

Um dos dados mais importantes foi a idade dos trabalhadores rurais: cerca de 73,5% deles têm ao menos 45 anos de idade e 3% estão na faixa dos 16 aos 24 anos.

A intenção da Prefeitura em cadastrar os trabalhadores é “conhecer a realidade da produção agropecuária da região e orientar, de forma mais efetiva, o planejamento de políticas públicas que visem à inclusão social, melhoria da qualidade de vida e a preservação ambiental local”. Mais de 1600 propriedades foram visitadas, com o cadastro de 170 unidades de produção agrícola em Parelheiros e 169 em Grajaú e 88 em Marsilac.

Na próxima etapa do Projeto Ligue os Pontos, a Prefeitura pretende, “em parceria com a CAE Parelheiros, atender 150 produtores rurais, com programas de estímulo à transição orgânica e boas práticas”.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.