Issviva patrocina equipe de vôlei do Clube Campo Belo para apoiar a mulher 45+

0
1000
Jogadoras vão receber uniformes exclusivos e kits com vitaminas da Issviva. Em 2019, o Clube foi considerado a maior agremiação de vôlei amador em São Paulo

Jogadoras vão receber uniformes exclusivos e kits com vitaminas da Issviva. Em 2019, o Clube foi considerado a maior agremiação de vôlei amador em São Paulo


“A menopausa não vai te parar”, diz o slogan da Issviva, marca dedicada a apoiar a mulher na menopausa, com soluções, serviços e produtos capazes de acompanhar todas as etapas dessa fase, desde os seus primeiros sinais. A prática da atividade esportiva regularmente traz benefícios reconhecidos pela Medicina em qualquer idade e, especialmente, na menopausa. Além de ajudar na queima da gordura e melhorar o humor, graças à produção e liberação de endorfinas e da serotonina, hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar, o exercício físico diminui o risco de doenças cardíacas, ajuda a equilibrar a glicemia, fortalece os ossos, melhora a ansiedade e a insônia, tão comuns nessa fase.

As atletas das equipes de vôlei máster da Associação Esportiva e Recreativa do Campo Belo que o digam. “Sinto satisfação emocional e orgânica. Ter o objetivo de ganhar um prêmio, seja um troféu ou uma boa colocação no torneio, é estimulante. A convivência com pessoas diversas também é bem interessante, fazemos amizades para uma vida inteira”, diz a psicóloga e acupunturista Luciana Lorieri, 52 anos, meio de rede do time 45+.

“Jogo desde a infância, parei por 5 anos, quando estava na faculdade, depois voltei. O esporte me traz superação, resistência, condicionamento físico, disposição, amigos e diversão”, emenda Rosangela Guerra, 54 anos, arquiteta e levantadora da equipe. “O esporte alivia a tensão da alma e do corpo de diferentes formas. Formamos uma rede de apoio, interagindo com mulheres que estão passando por situações semelhantes. E o corpo está sempre em dia. Eu, por exemplo, não tenho perda de cálcio porque jogo vôlei toda semana, segundo a minha ginecologista”, completa Carolina França, 48 anos, comunicadora, que pretende “jogar até os 100 anos”, como afirma.

Para incentivar ainda mais a prática esportiva, a Issviva fechou o patrocínio das equipes de vôlei feminino máster do Clube Campo Belo. A parceria inclui a distribuição de uniformes e distribuição de kits com vitaminas Issviva para 12 times e 165 atletas, além de presença visual no Clube, com adesivos personalizados no espelho do banheiro feminino e na placa da quadra. “Essas jogadoras representam a nossa crença e missão. A menopausa não pode significar mudança de vida e fim do prazer, em qualquer esfera da vida. Você gosta de jogar vôlei? Então, procure uma equipe amadora e vá para a quadra”, diz Cristina Arbelaez, Diretora Global da Issviva.

A equipe e o Clube

A Associação Esportiva e Recreativa do Campo Belo (Clube Campo Belo) foi fundada em 1930, com o time de bocha. O voleibol entrou para a história do clube nos meados da década de 1990, com a organização do time máster feminino 30+. No início, como era apenas diversão, os times eram formados por amigas e sem participar de campeonatos. Com o passar dos anos foram surgindo as competições amadoras e as equipes foram aumentando naturalmente, já com regras e divididos por faixa a etária (40+, 45+ e 50+).

A equipe atual 45+ joga junto há mais de 10 anos. Já participaram de diversos torneios amadores, organizados pelo Sindi-Clube e campeonatos curtos em Santos, Poços de Caldas e Águas de São Pedro, com o Torneio da Amizade. O time participa também do campeonato interno oferecido pelo clube, o Taça São Paulo, que acontece semestralmente. Ao longo do ano são realizados em média 30 jogos competitivos e de 2 a 3 viagens por ano.

Para as jogadoras, fazer parte de um time de vôlei tem sido muito mais que um jogo. “A gente está sempre se avaliando, se superando, treinando para ser melhor. E nós sabemos da importância do trabalho em grupo: ninguém vence sozinho. Tudo isso, levamos para fora das quadras”, afirma a Carolina França.

Em menopausa (precoce) desde os 42 anos, a dentista Julieta Marone, atualmente com 63 anos, ressalta que jogar vôlei melhora muito os sintomas associados à essa condição, como a diminuição de fogachos e as alterações de humor. Mas há outros ganhos relevantes: “Fazer parte de um time me ajudou na integração, socialização, desafios e autoestima”, acrescenta.

“Com certeza alivia os sintomas e aumenta a sensação de bem-estar, devido à liberação de endorfina. Por ser um esporte de equipe, o vôlei agrega amizades, desenvolve companheirismo e cumplicidade. Nas crises de pré–menopausa e na própria menopausa ter amigas com as mesmas dificuldades ajuda a entender e passar por essas questões hormonais, mais facilmente”, diz a artesã Patricia Frontini, 52 anos, levantadora do time.

Para Regiane Esteves, 45 anos, técnica da equipe, não há satisfação maior em ensinar e treinar do que ver o resultado nas quadras e a superação de cada jogadora. “As rotinas de treinos são bastante intensas, com exercícios de voleibol, fundamentos e estratégias. Treinamos de 1 a 2 vezes por semana. Como a equipe é formada apenas por mulheres, há uma troca contínua de experiências e informações sobre a menopausa, seus reflexos e como é possível superar cada sintoma, vivenciando melhor essa etapa”.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.