Intensa movimentação de pessoas, no Grajaú, está relacionada ao número de mortes por Covid-19, informa relatório da Prefeitura

0
180

Entre 17 de abril e 27 de maio, houve aumento de 348% em óbitos nos 20 distritos mais pobres da cidade de São Paulo, o que representa 28% do total das mortes na cidade. No Grajaú, o número de óbitos aumentou 454% neste período


Relatório divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde revela que, em alguns bairros da capital paulista, a grande quantidade de óbitos por Covid-19 está estritamente relacionada a uma grande movimentação de pessoas, o que indica desrespeito às regras de distanciamento social, a medida mais eficaz para evitar o contágio pela doença.

Segundo este relatório, o distrito que mais registrou essa movimentação de pessoas e aumento nos casos de óbitos foi o Grajaú, no extremo Sul da capital. Outros distritos da Zona Sul que também aparecem no ranking com as maiores taxas de óbitos da região são: Cidade Ademar, Capão Redondo, Jardim Ângela, Jardim São Luís, Jabaquara e Campo Limpo.

Um mapa das mortes por Covid-19 incluso no relatório informa que, até o dia 27 de maio, a Zona Sul de São Paulo registrou 1.560 mortes (confirmadas e suspeitas), sendo 7 em Marsilac, 21 na Capela do Socorro, 42 em Moema, 44 em Santo Amaro, 58 em Campo Grande, 59 em Pedreira, 60 no Itaim Bibi, 63 no Campo Belo, 77 em Parelheiros, 86 no Campo Limpo, 110 em Cidade Dutra, 123 no Jabaquara, 151 na Cidade Ademar, 156 no Jardim Ângela, 157 no Jardim São Luís, 163 no Capão Redondo e 183 no Grajaú.

“O coronavírus chegou em São Paulo importado de outros países e inicialmente se concentrou nas áreas dito ‘nobres’ da cidade, como o Morumbi. Agora ele caminha claramente para a periferia, onde, por questões sociais ou financeiras, as pessoas vivem mais aglomeradas, não tem uma boa estrutura de saúde pública à disposição e não têm condições de cumprir uma quarentena em isolamento. É a lógica da história de toda epidemia no mundo, onde os pobres sofrem mais por décadas de negligenciamento social”, aponta Álvaro Furtado Costa, infectologista do Hospital das Clínicas e do Instituto de Infectologia Emílio Ribas.

Entre 17 de abril e 27 de maio, houve aumento de 348% em óbitos nos 20 distritos mais pobres da cidade de São Paulo, o que representa 28% do total das mortes na cidade. Na Zona Sul, este aumento nos óbitos foi de 541% em Parelheiros, 454% no Grajaú, 578% no Jardim Ângela, por exemplo.

Enquanto o Estado de São Paulo liberou a abertura de alguns setores comerciais, mesmo com restrições, nesta terça-feira (02) o Estado bateu o recorde de 327 novas mortes, totalizando 7.994 mortes e 118.296 casos confirmados de Covid-19.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.