Governo de SP prorroga quarentena, mas permite abertura de alguns comércios

0
374

A partir do dia 1º de junho, na capital, podem reabrir: imobiliárias, shoppings (apenas lojas), concessionárias e comércios. Os demais serviços não essenciais (como salões de beleza, restaurantes e academias), permanecem fechados


No dia em que o Estado de São Paulo chega a 6.712 mortes causadas pelo coronavírus, o Governo do Estado anunciou uma prorrogação flexibilizada da quarentena. Portanto, a partir da próxima segunda-feira (1º), alguns estabelecimentos podem abrir as portas, porém, outros seguirão fechados.

“A partir do dia 1º de junho, por 15 dias, manteremos a quarentena, porém, com uma retomada consciente de algumas atividades econômicas no estado de São Paulo”, disse o governador João Doria (PSDB).

Denominando de “Plano São Paulo”, o Governo mapeou o Estado e classificou as 17 regiões em cinco fases, que permitem a reabertura do comércio.

– FASE 1 (vermelha): nível máximo de restrição de atividades não essenciais. Não podem abrir espaços públicos, atividades imobiliárias, concessionárias, escritórios, bares e restaurantes, comércio, shopping center, salão de beleza, academias, teatros e cinemas, eventos.

– FASE 2 (laranja): controle (abertura com restrições). Não podem abrir espaços públicos, bares e restaurantes, salão de beleza, academias, teatros e cinemas, eventos.

– FASE 3 (amarela): flexibilização (abertura de mais setores). Não podem abrir espaços públicos, academias, teatros e cinemas, eventos.

– FASE 4 (verde): abertura parcial (abertura de mais setores em relação a fase AMARELA). Não podem abrir espaços públicos, teatros e cinemas, eventos.

FASE 5 (azul): normal controlado. Todos os setores funcionam com a continuidade das medidas de higiene.

Segundo o Governo, “em todos os 645 municípios, a indústria e a construção civil seguem funcionando normalmente. A interdição total de espaços públicos, teatros, cinemas e eventos que geram aglomerações – festas, shows, campeonatos, etc – permanece por tempo indeterminado. A retomada de aulas presenciais no setor de educação e o retorno da capacidade total das frotas de transportes seguem sem previsão”.

O Plano São Paulo determina medidas de higiene que devem ser tomadas em cada setor comercial. Essas medidas estão disponíveis no site: https://www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/planosp

O Governo do Estado também explica que, “as fases são determinadas pelo acompanhamento semanal da média da taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivas para pacientes contaminados pelo coronavírus e o número de novas internações no mesmo período. Uma região só poderá passar a uma reclassificação de etapa – com restrição menor ou maior – após 14 dias do faseamento inicial, mantendo os indicadores de saúde estáveis”.

A capital paulista está enquadrada na fase laranja, que permite a abertura de atividades imobiliárias, shoppings, concessionárias e comércios, porém, com restrições. Os demais serviços não essenciais permanecem fechados. Amanhã (28), o prefeito Bruno Covas vai anunciar mais detalhes da flexibilização na capital.

O isolamento social segue como a principal recomendação para evitar a proliferação do novo coronavírus. Segundo o Governo, foi justamente o distanciamento social que ajudou a diminuir o número de mortes por coronavírus no Estado de São Paulo.

“Sem medidas de isolamento, nós chegaríamos a algo em torno de 1 milhão de casos no estado de São Paulo. Nós estamos com 84 mil neste momento. Isto mostra quão efetivas foram as medidas de isolamento”, afirmou Dimas Covas, coordenador do Centro de Contingência do coronavírus.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.