Grajaú é o distrito de SP com mais casos de Covid-19, revela pesquisa da Prefeitura

0
192

Apesar de já ter registrado 90% dos casos leves de coronavírus na capital, o Grajaú tem a menor taxa de pessoas que precisaram ser hospitalizadas. Inquérito epidemiológico da Prefeitura indica que mais de 1 milhão de pessoas já tiveram contato com a Covid-19, mas não estão registradas nos dados oficiais


Apesar da Zona Sul ser a região de São Paulo com a menor taxa de prevalência da Covid-19, apenas 7,5%, um distrito da Zona Sul é o local onde mais foram registrados casos da doença.

De acordo com um inquérito sorológico feito pela Prefeitura, o Grajaú registrou 11.032 casos leves de coronavírus (90,6%) e 750 casos graves (6,4%), ou seja, a quantidade de pessoas que foram hospitalizadas.

Analisando distrito a distrito, até o dia 9 de junho, temos:

  • Campo Belo: 802 CASOS LEVES | 182 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Campo Grande: 1.277 CASOS LEVES | 304 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Campo Limpo: 6.972 CASOS LEVES | 639 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Capão Redondo: 7.412 CASOS LEVES | 760 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Capela do Socorro: 420 CASOS LEVES | 94 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Cidade Ademar: 4.736 CASOS LEVES | 722 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Cidade Dutra: 3.807 CASOS LEVES | 412 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Grajaú: 11.032 CASOS LEVES | 750 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Itaim Bibi: 1.494 CASOS LEVES | 237 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Jabaquara: 4.510 CASOS LEVES | 673 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Jardim Ângela: 8.058 CASOS LEVES | 919 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Jardim São Luís: 7.163 CASOS LEVES | 795 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Marsilac: 174 CASOS LEVES | 6 CASOS GRAVES de Covid-19  
  • Moema: 1.224 CASOS LEVES | 241 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Pedreira: 2.670 CASOS LEVES | 365 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Parelheiros: 4.447 CASOS LEVES | 259 CASOS GRAVES de Covid-19
  • Santo Amaro: 1.149 CASOS LEVES | 234 CASOS GRAVES de Covid-19

O inquérito sorológico da Prefeitura teve como objetivo conhecer a situação sorológica da população, estimar a real letalidade da Covid-19 e direcionar estratégias. Participaram da pesquisa, 5.664 pessoas sorteadas nos 96 distritos da cidade. O exame utilizado na pesquisa identifica os casos já passados da doença e não quem está infectado atualmente. Assim é possível monitorar a quantidade de pessoas que já tiveram contato com o vírus.

No geral, segundo a Prefeitura, a prevalência do coronavírus em São Paulo é de 9,5% para os mais de 12 milhões de habitantes da cidade, ou seja: 1,160 milhão de pessoas já tiveram contato com a Covid-19, mas não estão registrados nos dados oficiais: o último boletim epidemiológico da Prefeitura, com dados de ontem (23), mostra 119.349 casos confirmados de coronavírus e 246.850 casos suspeitos. As mortes chegam a 11.727 entre confirmadas e suspeitas.

De acordo com o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, os dados de casos leves e graves se complementam com os dados de óbitos relatados no inquérito sorológico da Prefeitura. “Quando nós observamos apenas a distribuição dos óbitos existentes, nós tínhamos uma interpretação distorcida da realidade de óbitos no município. Nós tínhamos três distritos que o tempo todo, até agora, nos chamavam a atenção: Sapopemba [256 óbitos], Brasilândia [251 óbitos] e o Grajaú [231 óbitos]. Quando foi possível padronizar a população e observar a taxa de mortalidade acima de 120 óbitos para cada 100 mil habitantes, vemos que os distritos que tiveram a maior mortalidade proporcional na cidade foram: Iguatemi, Guaianases, Lajeado, Jardim Helena, Brasilândia, Cachoeirinha, Sé e Brás”, explicou o secretário.

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.