Zona Sul é a região de SP com menor taxa de prevalência para a Covid-19

0
211

Segundo inquérito sorológico feito pela Prefeitura, apenas 7,5% dos moradores da região Sul testaram positivo para o vírus. Além disso, mais de 1 milhão de pessoas em toda a capital já foram infectadas e criaram anticorpos contra a doença. No entanto, um estudo revela que os anticorpos diminuem após três meses em pacientes sintomáticos e assintomáticos


Entre todas as regiões da capital paulista, a Zona Sul da cidade de São Paulo é a que teve a menor taxa de prevalência da Covid-19. Uma pesquisa epidemiológica da Prefeitura revelou que apenas 7,5% dos moradores da região Sul testaram positivo para o vírus e criaram anticorpos contra a doença, enquanto na Zona Leste o índice chegou a 12,5%.

O inquérito sorológico feito pela administração municipal teve como objetivo conhecer a situação sorológica da população, estimar a real letalidade da Covid-19 e direcionar estratégias. Participaram da pesquisa, 5.664 pessoas sorteadas nos 96 distritos da cidade. O exame utilizado na pesquisa identifica os casos já passados da doença, e não quem está infectado atualmente. Assim é possível monitorar a quantidade de pessoas que já tiveram contato com o vírus.

“A literatura nos mostra que de 80 a 85% das pessoas não apresentam sintoma nenhum, são assintomáticos. E de 10 a 15% das pessoas são aquelas que precisam de algum tratamento, seja o clínico numa unidade básica, seja tratamento na rede hospitalar”, explicou Edson Aparecido, secretário municipal de Saúde.

No geral, segundo a Prefeitura, a prevalência do coronavírus em São Paulo é de 9,5% para os mais de 12 milhões de habitantes da cidade, ou seja: 1,160 milhão de pessoas já tiveram contato com a Covid-19, mas não estão registrados nos dados oficiais: até ontem (22), foram contabilizados 118.708 casos confirmados da doença e 246.892 casos suspeitos.

“Nós chegamos à conclusão de que existe na cidade de São Paulo já 1,16 milhão de pessoas com o anticorpo do coronavírus no município. Isso nos dá um grau de confiabilidade bastante importante, permite chegarmos às conclusões de que os processos, inclusive de flexibilização, estão sendo pautados exatamente por esses números”, disse o secretário.

No inquérito, a Secretaria Municipal de Saúde também detalhou que, até o dia 21 de junho, a taxa de letalidade da Covid-19, para 9,5% das pessoas infectadas, é de 0,5% (a cada 1.000 infectados).

Em 29 de junho, uma nova fase do inquérito será feita. “Todas as etapas do inquérito sorológico, além de nortear ações de saúde pública na cidade, serão fundamentais para a retomada da atividade econômica gradativa na cidade”, disse o secretário Edson Aparecido.

ANTICORPOS CONTRA O CORONAVÍRUS

Um estudo do periódico científico Nature Medicine revelou que os níveis de anticorpos contra o coronavírus diminuem após três meses da infecção, em pacientes sintomáticos e assintomáticos. Isso gerou dúvidas na comunidade científica quanto a imunidade que as pessoas adquirem após terem a doença.

Pesquisadores avaliaram 37 pacientes assintomáticos e 37 pacientes sintomáticos: mais de 93% dos que nunca tiveram nenhum sintoma tiveram diminuição dos anticorpos e mais de 96% de quem apresentou sintomas teve essa diminuição.

“A força e a duração da imunidade após a infecção são questões-chave para a ‘imunidade de proteção’ e para a tomada de decisões sobre como e quando aliviar as restrições de distanciamento físico”, informa o estudo.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.