Estação Vila Olímpia se torna sustentável com áreas verdes e projeto de reuso de água

0
2

Considerada a primeira estação sustentável da cidade de São Paulo, o local vai priorizar a energia limpa e preservar recursos naturais com infraestrutura para gerar, captar ou reaproveitar os insumos necessários na operação diária


A cidade de São Paulo ganhou sua primeira estação sustentável: a estação Vila Olímpia, na Linha 9-Esmeralda da CPTM.

A iniciativa foi lançada pelo Governo de São Paulo em novembro de 2020, através de uma parceria com uma empresa privada que ofereceu o projeto de reforma e manutenção por cinco anos. O contrato foi fechado em março deste ano com as empresas Eletromidia e o Banco Santander.

“Essa é a primeira estação de trem patrocinada, um fato inédito no Brasil. Isso é bom porque retira o dinheiro público e coloca o privado de forma inteligente, funcional, sustentável e equilibrada para o investidor. Isso traz uma diferença importante de modelo de gestão, além da sustentabilidade. O Governo de SP segue sendo um governo liberal, um governo desestatizante, fazendo concessões, privatizações em parcerias público-privado”, disse o governador João Doria.

Os novos equipamentos priorizam a energia limpa e preservam recursos naturais e a estação agora tem infraestrutura para gerar, captar ou reaproveitar os insumos necessários na operação do local. “A modernização permite que a parada alcance até 100% de autossuficiência nos meses em que houver disponibilidade para geração de energia limpa ou reuso hídrico”, explicou o Governo de SP.

Foram instaladas 234 placas solares sobre a cobertura da estação Vila Olímpia, que vão gerar aproximadamente 8.500 quilowatts-hora por mês e zerar a tarifa de energia elétrica da estação, que custa R$ 300 mil anuais.

Agora, a estação Vila Olímpia pode captar e armazenar mais de 46 mil litros de água, por mês, para limpar os banheiros e irrigar as áreas verdes. A água de reuso passa pelas raízes das plantas e volta limpa para o sistema de irrigação, economizando 150 mil litros de água, por mês.

O novo bicicletário tem espaço para 90 bicicletas e permite, se usado em sua capacidade máxima, a redução de 360 kg de dióxido de carbono liberados no ar. “O cálculo considera que cada bicicleta representa um carro a menos em circulação na capital, com redução média de quatro quilos de poluentes por dia. A estação passa a contar com pontos de recarga para bicicletas elétricas e calhas nas laterais das escadas fixas para facilitar o transporte dos veículos”, explica o Governo do Estado.

A estação Vila Olímpia também recebeu revitalização no paisagismo com a instalação de 1.454 m² de área verde. Ao todo, foram plantadas nove espécies nativas que podem reduzir as ilhas de calor e melhorar o odor do Rio Pinheiros.

“A estação também recebeu soluções ambientais produzidas com material reciclável como novas plataformas de coleta seletiva de lixo, bebedouros, bancos com pontos de carregamento USB e uma marquise de proteção contra chuvas. Ao lado das catracas também está o LAB, espaço de convivência com assentos para descanso e pontos para recarga de celular”, avisa o Governo do de São Paulo.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.