Escolas da Zona Sul recebem prêmios por projetos que exaltam o território da região

0
427

O Prêmio Territórios, realizado pelo Instituto Tomie Ohtake, destaca projetos em andamento que conectam a escola e o território a que a instituição pertence


A 4ª edição do Prêmio Territórios, que destaca projetos em andamento que conectam a escola e o território a que pertence, realizado pelo Instituto Tomie Ohtake, em parceria com a Prefeitura, premiou quatro escolas da Zona Sul de São Paulo:

• a EMEF Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira (Diretoria Regional de Educação Campo Limpo), com o Projeto “Agro Floresta Urbana: um laboratório a céu aberto, integrado ao Currículo da Cidade e aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”;

• o CEU EMEF Paulo Gonçalo dos Santos (Diretoria Regional de Educação Santo Amaro), com o Projeto “Cidade CEU – informação, conhecimento e moradia”;

• a EMEI Professor José La Torre (Diretoria Regional de Educação Capela do Socorro), com o Projeto “Territórios brincantes: revelando as múltiplas formas de ser criança no extremo sul – vivências com a infância guarani”;

• a EMEF Padre José Pegoraro (Diretoria Regional de Educação Capela do Socorro), com o Projeto “Um país chamado Grajaú: cartografia afetiva do bairro, sua história, personagens, movimentos, coletivos e organizações sociais”.

No total, 10 projetos foram selecionados das 119 propostas enviadas por todas as Diretorias Regionais de Educação da cidade. Em relação a última edição, isso representa um crescimento de 38% de escolas participantes.

Como prêmio, as instituições recebem um apoio financeiro de R$ 5 mil para que o projeto tenha continuidade, uma coleção de livros de arte do Instituto Tomie Ohtake, livros doados por editoras parceiras e um minidocumentário sobre o projeto.

R$ 42 MILHÕES PARA A EDUCAÇÃO

A Prefeitura anunciou que, em dezembro, vai enviar R$ 42 milhões para as unidades de ensino da cidade. Os valores variam de acordo com a complexidade e características de cada unidade, além do número de alunos matriculados e do tipo de unidade escolar: Centros de Educação Infantil, Escolas Municipais de Educação Infantil, Centros Municipais de Educação Infantil, Centros de Educação e Cultura Indígena, Escolas Municipais de Ensino Fundamental, Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Médio, Centros Integrados de Educação de Jovens e Adultos, Escolas Municipais de Ensino Bilíngue para Surdos.

“Cada escola deve receber entre R$ 16 mil e R$ 40 mil. Os recursos recebidos podem ser investidos na implementação dos projetos pedagógicos, desenvolvimento das atividades educacionais da unidade; contratação de serviços; compras de materiais de consumo e permanentes e manutenção, conservação e pequenos reparos da unidade educacional”, informou a Prefeitura.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.