Escola da Zona Sul atinge meta no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de 2019

0
2

A Escola Técnica Estadual Irmã Agostina, na Cidade Dutra, atingiu nota de 6,9 sendo que a nota média exigida era de 4,3. No geral, o Estado de São Paulo não bateu a meta do Ideb já que garantiu nota 4,3 quando a meta para 2019 era 4,9


Desde 2013 o Estado de São Paulo não bate a meta do Ideb, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, nos anos finais do Ensino Fundamental e Médio. Os resultados mais recentes, calculados a cada dois anos, foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e mostram que o Estado garantiu nota 4,3 quando a meta para 2019 era 4,9.

Também há diferenças entre as notas da rede pública e da rede privada no Ensino Médio: colégios particulares garantiram 6,1 e os colégios públicos marcaram apenas 4,3.

Isoladamente, algumas escolas públicas de Ensino Médio da capital conseguiram bons resultados no Ideb e uma delas está na Zona Sul: a Escola Técnica Estadual Irmã Agostina, na Cidade Dutra, que atingiu nota de 6,9 sendo que a nota média exigida era de 4,3.

As outras duas escolas que ultrapassaram a média também são Escolas Técnicas Estaduais: a Etec Sebrae (6,6) e a Etec Prof. Basilides de Godoy (6,5).

Nos anos iniciais do Ensino Fundamental (4ª e 5ª série), o Estado de São Paulo marcou nota de 6,5 (quando a meta era 6,3) já quase alcançando a meta de 2021, que é 6,6.

Já nos anos finais do Ensino Fundamental (8ª e 9ª série), a meta não foi atingida: o Estado ficou com 5,2 sendo que a meta era 5,6 para o ano passado.

Para o secretário estadual de Educação, a pandemia pode piorar o resultado do próximo Ideb, que será divulgado em 2021. “Precisamos fazer essa reflexão enquanto a sociedade sabe o que está acontecendo. A pandemia trouxe aumento do desemprego e há um consequente risco de evasão escolar. Só vamos entender isso na virada do próximo ano”, disse Rossieli Soares.

RETORNO ÀS ESCOLAS

A data de retorno dos alunos da rede estadual em São Paulo está prevista para 8 de outubro. Já os estudantes da rede municipal devem saber a data em que voltam as escolas nesta quinta-feira (17), quando a Prefeitura divulga o novo inquérito sorológico feito com crianças e adolescentes.

A volta das crianças para as salas de aulas tem sido tema de debate entre profissionais do setor: pais, mães e professores da rede pública querem continuar com o ensino a distância até 2021 e professores da rede privada querem autorização para retornar as escolas imediatamente.

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Paulo já expressou que é cedo para a volta das aulas presenciais nas escolas, com riscos de contágio da Covid-19 entre alunos e educadores.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.