Empresários conseguem certidão na Prefeitura para construção de aeroporto em Parelheiros

11
1156

Prefeitura diz que emitiu certidão após decisão judicial e que não recebeu projeto para que possa autorizar o uso da área. O projeto de um aeroporto na região preocupa ambientalistas que temem interferências na natureza

 

Nesta semana, a construção de um aeroporto em Parelheiros voltou a ser notícia na imprensa. Há pelo menos cinco anos o caso vem sendo discutido na Justiça e, em dezembro, a Prefeitura de São Paulo expediu uma certidão para os empresários André Skaf, filho de Paulo Skaf (ex-candidato ao Governo do Estado) e Fernando de Arruda Botelho, da construtora Camargo Corrêa, que tem a intenção de construir um aeródromo na região.
Os empresários são da Harpia Logística, e em 2013, conseguiram autorização da Secretaria de Aviação Civil para a construção do aeroporto. A obra é privada para jatos e táxis aéreos e tem área prevista de 4 milhões de metros quadrados.
No mesmo ano, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, da gestão Fernando Haddad, vetou o projeto ao indeferir a emissão de certidão de uso e ocupação do solo.
Para o gestor de projetos da Rede Nossa São Paulo, Américo Sampaio, a região é de fundamental importância para o desenvolvimento sustentável da cidade. “É preciso lembrar que, toda aquela região produz água para praticamente 5 milhões de habitantes, fora toda a questão das mudanças climáticas. É uma área que deve ser explorada mas, com vistas para o desenvolvimento sustentável. O tema é polêmico para a Zona Sul e interfere nas questões ambientais, no conjunto de nascentes, e a base da cabeceira da represa (Guarapiranga) pode ser impactado. É importante o paulistano debater se essa obra é importante ou se é uma agressão ambiental na região”.
O secretário municipal de Urbanismo e Licenciamento, Fernando Chucre, esclareceu que a Prefeitura expediu a certidão por determinação judicial. “O que aconteceu foi uma decisão judicial, obrigando o município a emitir o que a gente chama de certidão de diretrizes. É um documento que atesta o zoneamento de um determinado terreno, seja onde for, e estabelece quais as regras são aplicadas naquele local para você conseguir o licenciamento. Ou seja, não tem nenhum vínculo ainda com a questão do licenciamento para o empreendimento. É uma diretriz que qualquer cidadão tem direito de pedir ao município. Já de alguns anos tá tendo essa discussão na Justiça com os proprietários da área que acabou com uma decisão que obrigou o município a emitir essa diretriz”.
O secretário afirmou, ainda, que o setor de licenciamento da Prefeitura não recebeu nenhum projeto para que “possa ser expedido qualquer documento que autorize o uso [da área]. O que a gente observa neste caso específico é que por esta área estar em Zona Especial de Proteção Ambiental, por ser uma área que tem uma série de outras restrições, especialmente do ponto de vista ambiental, é muito difícil que se licencie um empreendimento desse porte”.
- Patrocinado -

11 COMENTÁRIOS

    • Esses empresários são irresponsáveis, estão preocupados apenas no dinheiro. Não estão preocupados com as nascentes da represa Guarapiranga Veja o que virou o Rio Pinheiros do ano de 1936 até hoje. Acabou, virou um esgoto a céu aberto, tudo por causa da preocupação com o dinheiro. No caso de parelheiros tem uma construtora no meio de tudo, “Camargo Correa, uma das mais gananciosas de todo Brasil. Eles e alguns políticos só pensam no bolso deles, não se preocupam com as próximas gerações. Só pensam em dinheiro. Se fossem criativos, iriam investir em outro tipo de negocio. Mas a inveja que eles tem dos colegas deles que estão construindo um aeroporto semelhante em São Roque é imensa. Ai querem porque querem tira-lo do papel. E com a ajuda de políticos corruptos estão conseguindo.

  1. Vocês vivem jogando latinha de cerveja na rua bituca de cigarro , e vem falar de um empreendorismo desse ?? Aaaaaa me economize

  2. A construção de um Aeródromo nesta região não implicara tão negativamente na região e muito menos na represa, pesquisem o parque dos búfalos também na zona sul e verão que a própria prefeitura destruiu muitas nascentes para construir 160 prédios praticamente dentro da represa Billings. Hoje a unica rua de acesso a este condomínio vive com esgoto jorrando dia e noite com aquele cheirinho. A de se lembrar que é área de manancial mas conseguiram as licenças ambientais, como será que conseguiram?
    A Região de Parelheiros é muito bonita e extensa porém bastante pobre, este aerodromo seria uma boa opção de melhoria de renda e empregos.
    Não sou a favor de nenhuma destruição ambiental e sim da melhoria de vida, se tudo for feito seguindo regras e leis pode dar certo.

  3. Ótimo, tomara que saia do papel. Não podemos continuar vivendo nas trevas, com acesso difícil pra qualquer ponto de São Paulo. Acesso ao Rodoanel também!!!!!!

  4. com esse aeroporto parelheiros pode deixar de ser terra de indio….. e embu guacu pode crescer fora que ficaria muito mais viavelpraas obras da estrada parelheiros-itanhaem sair do papel também

  5. Já foi provado que um aeroporto valoriza um lugar como por exemplo congonhas, porem é importante ver onde isso será construído, acho melhor ser construido por uma construtora do que o povo invadir e fazer seus conglomerados, acho que ao invêz de ficar protegendo só uma área, isso tem que ser lei para toda cidade, sou a favor de cada casa ser obrigada a plantar uma arvore

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.