Chuvas de verão castigam as ruas de Moema que se transformam em rios devido as enchentes

0
1041

No último final de semana, moradores fizeram relatos assustados com a quantidade de água que atingiu casas e condomínios

 

Neste verão, um dos bairros mais atingidos pelas constantes chuvas é Moema. No último sábado (26), muitos moradores ficaram assustados com a quantidade de água que atingiu o bairro e transformou as ruas em verdadeiros rios.
Diversos prédios residenciais foram atingidos. Moradores relataram nas redes sociais que a água invadiu as garagens, e mesmo as garagens que tem portas de contenção não deram conta da quantidade de água.
A reclamação é a mesma entre a maioria dos moradores, a falta de limpeza dos bueiros e do córrego Uberaba, além de pagarem um alto valor no IPTU e não terem uma boa zeladoria no bairro.
“Estou chocada com as imagens postadas pelos moradores dos efeitos das chuvas em Moema. Está se falando de um bairro nobre, com IPTU altíssimo, onde há zero retorno em zeladoria por parte do poder público”, relatou uma moradora.
Os estragos causados pela enchente foram relatados nas Ruas Gaivota, Pintassilgo, Juquis; nas Avenidas Rouxinol, Pavão, Ibijaú, Jurema, Divino Salvador, Jandira, Jamaris; e nas Alamedas dos Maracatins, dos Nhambiquaras, Jauaperi e dos Arapanés.
Em nota, a Subprefeitura da Vila Mariana informou que “algumas dessas vias estão incluídas no Plano Verão e, por isso, são limpas com mais frequência. Em 2018, foram feitas 2.000 limpezas de bocas de lobo e 539 poços de visita passaram por zeladoria na região da Vila Mariana. No total 274 m³ de detritos foram retirados durante os trabalhos. Vale ressaltar que, no último domingo (27), um representante da administração regional esteve no local e conversou com os moradores dos prédios afetados, prestando apoio e dando orientação sobre os procedimentos a serem adotados”.
Veja o cronograma de limpeza nos bueiros da região:

 

PREJUÍZOS APÓS A CHUVA
Carro é retirado de garagem após a chuva
A Subprefeitura da Vila Mariana também informou que moradores que tiveram prejuízos em seus imóveis devido a enchente podem pedir isenção de IPTU por enchentes e alagamentos na Praça de Atendimento da Subprefeitura.
“É necessário levar os documentos pessoais (CPF e RG), IPTU do exercício de referência, fotos/vídeos dos danos causados pelo evento e noticiários, se houver. O processo é encaminhado à Defesa Civil, que vai ao local fazer vistoria e laudo dos danos. Posteriormente, esse processo é encaminhado para a Supervisão de Habitação da Subprefeitura, que elabora o relatório de enchentes, com despacho do subprefeito, e encaminha para a ATAJ (Assessoria Técnica de Assuntos Jurídicos). O processo deve seguir, ainda, para a Secretaria Municipal de Finanças, que pode deferir ou indeferir o pedido do contribuinte. O benefício fiscal está limitado a R$ 20 mil do imposto devido, por imóvel e por exercício, e será concedido no exercício seguinte ao da ocorrência do alagamento ou enchente. Terá direito à isenção ou remissão do IPTU o contribuinte que sofreu danos físicos no imóvel, nas instalações elétricas ou hidráulicas, ou teve prejuízo com a destruição de alimentos, móveis e eletrodomésticos, conforme a Lei 14.493/2007 (regulamentada pelo Decreto 48.767/2007)”.
- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.