Cerca de 14,7% dos moradores da Zona Sul já foram infectados pela Covid-19, revela inquérito da Prefeitura

0
86

No geral, a cidade de São Paulo tem 1,3 milhão de pessoas que já foram infectadas, portanto, a taxa de prevalência do vírus na cidade é de 10,9%. Os que precisam sair de casa para trabalhar têm o triplo de chance de se infectar com a Covid-19 do que aqueles que trabalham em casa e conseguem manter o distanciamento social


A Fase 3 da quarta etapa do Inquérito Sorológico realizado pela Prefeitura até o dia 6 de agosto, revelou que 1,3 milhão de pessoas já foram infectadas pela Covid-19, portanto, a taxa de prevalência do vírus na cidade é de 10,9%.

A fase 2 indicou uma taxa de prevalência maior, de 11,1%, enquanto as outras fases não passaram dos 10%.  Para a Prefeitura de São Paulo, a queda na taxa de prevalência entre a Fase 3 e a Fase 2 indica estabilidade da doença na cidade. “São números que, estatisticamente, significam uma estabilidade da doença na cidade de São Paulo. Isso significa que apesar de dois meses de reabertura e de flexibilização da atividade econômica, a gente mantém os mesmos índices de prevalência”, disse o prefeito Bruno Covas.

A Zona Sul segue como a região com maior prevalência da doença: 14,7% das pessoas já se infectaram pelo vírus. Esse dado também é menor que na fase 2, quando foi registrado anticorpos em 16% dos moradores da Zona Sul.

Comparando cada região da cidade de São Paulo foi possível saber que a Zona Sul só não teve a maior taxa de prevalência na Fase 0, quando registrou 7,5% dos moradores que testaram positivo para o vírus e criaram anticorpos contra a doença. Na Fase 1, a Zona Sul também registrou a maior taxa de prevalência entre todas as regiões: 11%.

A questão do isolamento social é outro ponto chave: os que precisam sair de casa para trabalhar têm o triplo de chance de se infectar com a Covid-19 do que aqueles que trabalham em casa e conseguem manter o distanciamento social.

Quem faz home office tem prevalência de 6,2% para a Covid-19, mas em quem trabalha fora a prevalência é de 18,5%. Entre os desempregados, 12,7% já foram infectados.

Jovens entre 18 e 34 anos seguem como os principais infectados pela Covid-19, assim como pessoas entre 35 e 49 anos. “Quero ressaltar a importância da conscientização dos nossos jovens. Volta e meia a gente ainda verifica a questão de alguns ‘pancadões’ e festas irregulares”, alertou o prefeito.

Além da faixa etária, a Fase 3 do Inquérito Sorológico indicou que pessoas negras têm índice de prevalência 82% maior do que pessoas brancas. O vírus também está mais presente nas classes sociais D e E do que nas classes A e B.

A máscara continua sendo o item de proteção mais utilizado pela população: 97% das pessoas indicaram que ‘sempre’ a utilizam. “É possível afirmar que o uso da máscara pela parte majoritária da população tem colaborado para manter os índices estáveis de prevalência e de imunização na cidade”, completou o prefeito.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.