Bairros da Zona Sul estão na lista dos distritos com mais casos de morte por Covid-19 em casa

0
310

Segundo o Portal da Transparência dos Cartórios, entre 16 de março a 30 de abril, houve um aumento de 14,5% em relação ao mesmo período do ano passado, no número de óbitos em casa no Estado de São Paulo


De acordo com relatório da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, até o dia 27 de maio, quatro bairros da Zona Sul estão inclusos na lista dos distritos administrativos que registraram mais mortes (confirmadas e suspeitas), em casa, por causa da Covid-19.

Junto com o bairro de Pirituba (Zona Oeste), a Cidade Ademar contabiliza 11 óbitos em domicílio. E junto com Cangaíba (Zona Leste) e Vila Medeiros (Zona Norte), a Cidade Dutra, Grajaú e Capão Redondo registram 10 casos de paulistanos que morreram em casa.

Na Zona Sul também há distritos que não registraram mortes em casa: como Moema, Marsilac e Capela do Socorro.

“Ressalta-se que a maioria dos óbitos domiciliares podem não ter sido previamente analisados em laboratório, e esses casos poderão ter sua causa modificada com os resultados das amostras biológicas colhidas para análise. Do total de óbitos de residentes por Covid-19 (confirmados e suspeitos) 58,7% são de residentes com 75 anos e mais”, informa o relatório.

Pelo relatório, até o dia 21 de maio, 409 pessoas morreram em casa na cidade de São Paulo, sendo que 21 pessoas foram confirmadas com coronavírus e 388 são suspeitas da doença. Desse total, 90,7% aconteceram em hospitais, sendo 58% em hospitais do Sistema Único de Saúde e 41% em hospitais privados; 6% foram em casa e 3,3% em outros locais.

“A gente inicialmente achava que o vírus causasse só uma gripe ou, nos casos mais graves, uma pneumonia. Mas não é só isso. O vírus atua também no sistema circulatório, elevando o risco de uma morte súbita em casa por doenças cardíacas”, explica o epidemiologista Paulo Lotufo, professor de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da USP.

Segundo o Portal da Transparência dos Cartórios, entre 16 de março a 30 de abril, houve um aumento de 14,5% em relação ao mesmo período do ano passado, no número de óbitos em casa no Estado de São Paulo. Em outros Estados brasileiros, esse índice é muito maior, como no Rio de Janeiro (+40%) e no Amazonas (+149%), que superam a média do Brasil, que registrou um aumento de 10,4%, no mesmo período, com 27,2 mil mortes em casa.

Na cidade de São Paulo, entre 16 de março a 30 de abril deste ano, 1.643 pessoas morreram em casa: 28 delas pela Covid-19, e as outras, por diversas doenças respiratórias. Esse número aumentou para 2.720 pessoas, entre 16 de março e 4 de junho, sendo 52 por coronavírus, de acordo com o Portal da Transparência dos Cartórios.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.