Argentinos usam criptomoedas para minimizar efeitos da crise

0
182

A restrição de acesso ao dólar, aumentou a procura por criptomoedas


A recente disputa eleitoral na Argentina evidenciou ainda mais a turbulência que atinge a população há anos. A inflação desenfreada, alta taxa de desemprego e dificuldades nas contas públicas estão deixando a vida bem difícil por lá. Para minimizar algumas consequências dessa crise, a população começou uma corrida para trocar seus pesos argentinos por dólares norte-americanos para garantir o poder aquisitivo.

Com medo de perder o controle da moeda local, o país passou a restringir o acesso à moeda dos Estados Unidos, limitando o câmbio e ainda com pedidos sob a análise do Banco Central. A medida não teve boa repercussão, e a procura por criptomoedas, que já era muito grande na Argentina, atingiu seu pico às vésperas da eleição presidencial.

“O ativo digital mais procurado foi o Bitcoin que, além de descentralizado, livre do controle de instituições de qualquer tipo, e, portanto, mais resistente aos efeitos de crises econômicas e políticas, tem grande liquidez em qualquer lugar do mundo”, explica Guido Malato, CEO da exchange de criptomoedas CashCode.

Outros países também estão aderindo às criptomoedas, em menor ou maior escala: Venezuelanos praticamente abandonaram suas moedas fiduciárias pelas digitais; Turcos e iranianos, que sofrem com sanções comerciais, encontraram nas criptomoedas uma saída; E na Austrália elas são usadas para garantir a liberdade de movimentar o próprio dinheiro.

“Com a alta demanda da população pelas criptomoedas, os governos estão se vendo obrigados a desenvolver um ambiente favorável a esses ativos. 70% dos Bancos Centrais já têm projetos para criar criptomoedas próprias. A China já declarou querer liderar o desenvolvimento da tecnologia no mundo, e o lançamento de uma moeda digital oficial está em seus retoques finais”, comenta Guido.

Formadas por um conjunto de caracteres, as criptomoedas são consideradas uma revolução do sistema financeiro atual. Seu valor pode ser determinado de forma monetária, como o Bitcoin, ou simbólica, como um título, dependendo de seu objetivo.

Enquanto os argentinos já respiram um pouco mais aliviados, o desenvolvimento das criptomoedas em todo o mundo já é uma tendência real. Saiba mais sobre essa revolução! Acesse CashCode.io e conheça uma plataforma completa e segura para a compra e venda de moedas digitais!


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.