Após perseguição na Av. 23 de Maio, Polícia prende quadrilha que sequestrou gerente de joalheria

0
133

A quadrilha colocou um colete, que simulava uma bomba, no gerente, e o obrigaram a pegar R$ 200 mil em joias da loja. Na perseguição, houve troca de tiros e os bandidos bateram o carro em um portão do Ibirapuera


A Polícia prendeu três assaltantes que fizeram refém o gerente de uma joalheria do centro da cidade. A prisão aconteceu na Av. 23 de Maio, próximo ao Parque Ibirapuera na última quinta-feira (26).

O gerente da joalheria foi abordado pela quadrilha por volta das 7h da manhã, enquanto saía de casa, na Zona Leste. Enquanto seguiam para a joalheria, o grupo colocou um colete, que simulava uma bomba, no gerente, e um celular para monitorá-lo. No trajeto, os bandidos o ameaçaram dizendo que se ele não cooperasse, explodiria a bomba.

Com o colete no corpo, ele foi obrigado a abrir o cofre da loja e encher duas malas com joias; peças avaliadas em R$ 200 mil. Ao sair da loja, a ligação telefônica com os bandidos caiu e, desconfiados, os bandidos desistiram do roubo e fugiram.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, “a atividade dos criminosos era investigada por policiais da 3ª Delegacia da Divisão de Investigações sobre Crimes contra o Patrimônio (Disccpat). A equipe monitorava um veículo Honda/Civic preto utilizado pela quadrilha e apurou que o grupo agiria na região nesta data”. Os policiais encontraram os suspeitos na Av. 23 de Maio e deram início a uma perseguição.

Na fuga, os bandidos atropelaram um motociclista, que quebrou a perna, e trocaram tiros com os policiais. Perderam o controle da direção, colidiram com vários carros e bateram na grade que cerca o Parque Ibirapuera. Um dos assaltantes ficou ferido.

No carro da quadrilha, a Polícia encontrou uma pistola calibre. 380; um revólver .38; munições; um aparelho de choque; um enforca-gato; uma fita adesiva e um documento de identificação de uma quarta pessoa, que os policiais identificaram como sendo a vítima.

A vítima disse à Polícia que, na semana passada, um homem ficou monitorando a joalheria e tirou fotos do local. Segundo o delegado, este homem não está entre os presos. “Agora as investigações prosseguem em qual sentido? Identificar um outro veículo que era utilizado na escolta desses criminosos para que a gente possa prender essa quadrilha e identificar, com relação ao roubo do veículo em que os bandidos foram detidos, se efetivamente eles foram os autores desse outro roubo”, explicou o delegado Danilo Alexis.

Os assaltantes vão responder por tentativa de homicídio, extorsão mediante sequestro, porte ilegal de arma, resistência à prisão e associação criminosa.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.