19.9 C
São Paulo
quinta-feira, 26 maio, 2022
Mais

    Zona Sul ganha Centro de Promoção de Esperança ao Suicídio

    Mais lidas

    Localizado dentro do Centro de Atenção Integrada à Saúde Mental (CAISM), na Vila Mariana, o espaço vai atender crianças, adolescentes, adultos e idosos que apresentem comportamento suicida e serão encaminhados para tratamento terapêutico. Todos os anos, cerca de 800 mil pessoas tiram a própria vida, sendo que o suicídio é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos


    Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), todos os anos, em todo o mundo, cerca de 800 mil pessoas tiram a própria vida.

    O suicídio é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos e também é considerado uma morte violenta para 50% dos homens e 71% das mulheres. Entre os métodos mais comuns que as pessoas utilizam para tirar a própria vida estão a ingestão de pesticidas, enforcamento e uso de armas de fogo.

    A Organização Pan-Americana de Saúde define que há formas de prevenção contra o suicídio:

    • Redução de acesso aos meios utilizados (por exemplo, pesticidas, armas de fogo e certas medicações);
    • Cobertura responsável pelos meios de comunicação;
    • Introdução de políticas para reduzir o uso nocivo do álcool;
    • Identificação precoce, tratamento e cuidados de pessoas com transtornos mentais ou por uso de substâncias, dores crônicas e estresse emocional agudo;
    • Formação de trabalhadores não especializados em avaliação e gerenciamento de comportamentos suicidas;
    • Acompanhamento de pessoas que tentaram suicídio e prestação de apoio comunitário.

    Todos os anos, no mês de setembro, a campanha contra o suicídio é intensificada através do “setembro amarelo”. Em 2020, a Zona Sul da capital paulista ganhou um Centro de Promoção de Esperança ao Suicídio – Conversas da Vida, localizado no Centro de Atenção Integrada à Saúde Mental (CAISM), na Vila Mariana.

    O Centro de Promoção de Esperança ao Suicídio – Conversas da Vida será gerenciado pela Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) em parceria com a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), em convênio com a Secretaria de Saúde do Governo do Estado.

    Crianças, adolescentes, adultos e idosos que apresentem comportamento suicida serão atendidos, inicialmente, por psiquiatras que vão definir o tratamento e o planejamento terapêutico. Psicólogos, neuropsicólogos, assistentes sociais e enfermeiros também atendem no local.

    Todo o atendimento do Centro de Promoção de Esperança ao Suicídio – Conversas da Vida será integrado ao Centro de Atenção Integrada à Saúde Mental e, dependendo da gravidade do quadro de saúde do paciente, a pessoa é direcionada para os seguintes atendimentos:

    • ambulatório, para a reabilitação psicossocial;
    • Hospital Dia, para atendimento semi-intensivo;
    • pronto-socorro, para abordagem de urgência ou emergência;
    • internação, para pacientes com transtorno mental em situação de crise que necessitam de cuidado em ambiente continuamente protegido.

    Para Elson Asevedo, diretor clínico do CAISM e responsável pelo Centro de Prevenção ao Suicídio, o local foi criado em um momento significativo, pois a pandemia da Covid-19 pode desencadear mais razões para as pessoas cometerem suicídio.

    “Isolamento, mudança de rotina, redução de acesso a tratamento, dificuldades econômicas, medo do adoecimento e da morte, experiências de adoecimento pessoal e óbito de pessoas próximas são alguns dos fatores que contribuem para que o sofrimento psíquico seja uma das consequências mais disseminadas e graves da pandemia”, afirma o médico.

    De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde, a pandemia tem feito as pessoas falarem mais abertamente sobre suicídio e isso pode gerar sinais de alerta. “Nós ainda não sabemos como o aumento da depressão, da violência doméstica e do uso de substâncias afetará as taxas de suicídio, mas é importante conversar sobre o assunto, apoiar uns aos outros nestes tempos de pandemia e conhecer os sinais de alerta de suicídio para ajudar a preveni-lo”, comentou o chefe de saúde mental e abuso de substâncias da OPAS, Renato Oliveira e Souza.

    SERVIÇO
    Centro de Promoção de Esperança ao Suicídio – Conversas da Vida
    Endereço: Rua Maj. Maragliano, 241 – Vila Mariana
    Telefone (11) 3466-2100
    Horário: 24 horas


    SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

    - Patrocinado -

    Leia mais

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    - Patrocinado -

    Últimas