ViaMobilidade retoma obras de ampliação da Estação Santo Amaro

0
1174
Obras estão sendo retomadas com previsão de entrega para o segundo semestre de 2024

Duas plataformas ganharão sete metros adicionais de largura, melhorando o fluxo de passageiros na Linha 5-Lilás


A ViaMobilidade, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 5-Lilás de metrô, retomou as obras para a ampliação da Estação Santo Amaro. A conclusão dos trabalhos no espaço, usado na transferência de passageiros para a Linha 9-Esmeralda de trens metropolitanos, está prevista para o segundo semestre de 2024. Essa é a maior intervenção prevista no contrato de concessão da operadora na Linha 5-Lilás.

O novo espaço será compatível com o atual fluxo de passageiros, que cresceu mais de 90% desde a abertura das últimas estações do traçado, de Adolfo Pinheiro à Chácara Klabin. Atualmente, mais de 75 mil pessoas, em média, passam a cada dia útil pela Estação Santo Amaro da Linha 5-Lilás.

Com o objetivo de adequar as instalações da Estação Santo Amaro ao crescimento da demanda de transferência, os serviços incluem: Alargamento, em sete metros, de duas plataformas auxiliares; na extremidade do lado da Linha 9-Esmeralda, cada plataforma de embarque receberá mais três escadas rolantes e uma escada fixa, além da implantação de elevadores; construção de uma nova passarela de integração entre as duas estações; e remanejamento de salas operacionais da estação.

Para executar o projeto, após um minucioso processo de avaliação de propostas técnicas, a ViaMobilidade contratou a EGTC Infra, que possui um amplo portfólio de obras no segmento de Mobilidade Urbana, como o BRT de Salvador, Bahia; o Aeroporto Internacional Pinto Martins em Fortaleza, Ceará; e obras metroviárias em São Paulo, entre outros projetos. A previsão é que sejam gerados cerca de 300 empregos diretos e indiretos.

Segundo o presidente da CCR Mobilidade, Marcio Hannas, foi necessário o cumprimento rigoroso de algumas etapas para o reinício da reforma. Nesse período, a concessionária investigou todos os pontos críticos identificados em estudos e todas as precauções foram tomadas visando à segurança na retomada do empreendimento.

Foram realizados estudos técnicos das estruturas remanescentes da primeira etapa da obra. Foi tomada a decisão de reaproveitar 55% de toda a estrutura metálica presente no canteiro, incluindo os pilares das novas plataformas sobre o Rio Pinheiros e outros componentes das novas passarelas de integração entre as estações da Linha 9-Esmeralda e da Linha 5-Lilás, o que totaliza cerca de 550 toneladas de aço.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.