SPObras retoma licitação das obras remanescentes do prolongamento da Av. Chucri Zaidan

0
750
Via é uma importante ligação entre as regiões de Santo Amaro e do Brooklin

Obras envolvem construção de túnel, corredor de ônibus, melhoramentos dos trechos e da ciclovia


A primeira etapa de obras havia sido concluída em 2018 e, por conta de fatores que consumiram mais recursos do que o previsto, não foi possível concluir todo o escopo original de obras. Os serviços remanescentes visam, portanto, à conclusão deste melhoramento viário. Estão previstos R$ 442,1 milhões em investimentos municipais para conclusão das obras, que, após contratadas, terão prazo de execução de 36 meses.

A Prefeitura de São Paulo, por meio da SPObras, retomou a concorrência para contratação das obras remanescentes do prolongamento da Av. Chucri Zaidan, na Chácara Santo Antônio. A licitação havia sido suspensa por recomendação do Tribunal de Contas do Município no dia 10 de fevereiro para ajustes técnicos no edital. As questões apontadas pelo TCM foram, então, saneadas pela Administração Municipal e a retomada da licitação, autorizada pela Corte de Contas.

O prolongamento da Av. Chucri Zaidan vem consolidar e expandir o eixo de desenvolvimento de um importante centro empresarial da metrópole, formado pelas avenidas Nações Unidas, Berrini e Chucri Zaidan, desde a Av. dos Bandeirantes na altura da ponte Ary Torres até a Av. Roque Petroni Junior, na altura da ponte do Morumbi.

O empreendimento prevê a construção do túnel sob a Av. Cecília Lottenberg, com 880 metros de extensão, em célula dupla, contemplando 2 faixas por sentido, passeios laterais e sistemas, inclusive saídas de emergência e poços de ventilação.

Os serviços também abrangem a implantação de corredor de ônibus, enterramento das redes aéreas, paisagismo e melhoramentos nos trechos já existentes da via. No trecho da Av. João Dória até a Rua Antônio de Oliveira, haverá adequação da geometria viária existente para comportar 4 faixas por sentido, sendo a faixa da esquerda para corredor de ônibus.

A futura obra favorecerá os pedestres, com implantação de passeios amplos e acessíveis; e ciclistas, com implantação de ciclovias que fazem a conexão da nova via aos sistemas cicloviários existentes na Marginal Pinheiro e no corredor Berrini, além da implantação de uma rampa cicloviária metálica na Ponte Laguna, conectando-a à ciclovia existente na margem Leste do Rio Pinheiros.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.