Risco de doenças urológicas aumenta no inverno

0
577
Em tempos de aumento de gripes e resfriados, cuidados urinários também devem ter atenção

Urologista de Santos mostra medidas que podem ser adotadas para evitar complicações


Entramos na estação mais fria do ano e com ela é comum o aumento de algumas doenças. As mais conhecidas são aquelas do trato respiratório, como as gripes e resfriados. Entretanto, alguns problemas do aparelho urinário também ficam mais frequentes quando a temperatura cai.

O médico urologista Heleno Diegues Paes afirma que é comum a piora dos sintomas urinários daquelas pessoas que sofrem de Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) e de Síndrome da Bexiga Hiperativa. A HPB proporciona uma obstrução urinária em alguns homens, que passam a urinar com maior dificuldade. Eles apresentam sintomas como jato urinário fraco e intermitente, esforço miccional e aumento no número de vezes que precisam urinar. Há a tendência que esses sintomas fiquem mais intensos no frio. Já no caso da Síndrome da Bexiga Hiperativa, a pessoa apresenta vontade urgente de urinar e, por vezes, não consegue segurar a urina. Estas pessoas também tendem a sofrer mais nas épocas mais frias.

Outras pessoas, que sofrem de infecção urinária recorrente, podem ter suas crises de cistite mais frequentes devido a mudanças nos hábitos diários. É comum as pessoas diminuírem a ingestão de líquidos nesta época do ano e, consequentemente, ficarem longos períodos sem urinar.

“Aumentar a hidratação de forma a manter a urina na coloração clara e evitar ficar segurando a urina por muitas horas, são algumas precauções que devemos tomar para evitar as infecções neste período”, orienta o especialista.

Outras medidas que podem ser adotadas são urinar após a relação sexual e usar roupas íntimas de algodão. Esta última, inclusive, para evitar o surgimento de micoses no genital e nas virilhas, que podem ser precipitadas pelo uso de roupas quentes e apertadas no inverno.

“Os sintomas da infecção urinária incluem necessidade urgente e frequente de urinar com eliminação escassa de urina, ardor, dores na região da bexiga, nas costas, sangramento na urina, odor e coloração escura, além de febre”, alerta Paes.

Por mais que o consumo adequado de água estimule o funcionamento do sistema urinário e ajude a prevenir infecções, é importante enfatizar que, seja qual for o sinal, o urologista sempre deve ser procurado para fazer uma avaliação correta e indicar o melhor tratamento para cada caso.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.