Procon-SP registra aumento de 373% em reclamações na cobrança da conta de energia

0
291

Após três meses cobrando a média equivalente ao último ano, em junho a Enel enviou boletos caros para muitas famílias. O Procon-SP disse que vai fazer uma força-tarefa para analisar todas as reclamações e avaliar as cobranças: as que tiverem aumento acima de 30% vão ser auditadas


Nos últimos dias muitas pessoas manifestaram espanto e indignação nas redes sociais com o valor da conta de luz do mês de junho. Após três meses cobrando a média equivalente aos últimos 12 meses, a Enel enviou boletos caros para muitas famílias.

Segundo a empresa, que é responsável pela energia elétrica da capital, devido ao alto consumo de energia nas casas, já que a maioria das pessoas estão isoladas e trabalhando em casa, a partir desse mês haverá a cobrança dessa diferença de consumo. No caso de comércios, que reduziram o gasto de energia, a conta pode vir mais barata.

“A Enel Distribuição São Paulo informa que, em junho, retomou a leitura presencial de 80% dos medidores de energia dos clientes da companhia. Em julho, todos os equipamentos de medição voltarão a ser lidos normalmente pela distribuidora. A diferença, para mais ou para menos, entre o valor da conta faturada pela média e o real consumo de energia no período será compensada automaticamente, com a retomada da leitura pela distribuidora ou caso o cliente tenha realizado a autoleitura. Desde o final de março, muitos clientes tiveram a conta de energia faturada pela média do consumo dos últimos 12 meses ou por meio da autoleitura. A medida foi autorizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em função do avanço da Covid-19 e para contribuir com o isolamento social”.

Por causa das tarifas altas, entre maio e 24 de junho o Procon-SP registrou um aumento de 373% nas reclamações de cobrança indevida por parte da empresa. O Procon anunciou que “será realizada uma força-tarefa por especialistas para analisar todas as reclamações e avaliar as cobranças. Contas com aumento acima de 30% vão ser auditadas pela força-tarefa; os consumidores devem registrar uma reclamação na plataforma do @proconsp e juntar a conta questionada e a do(s) mês(es) anterior(es). O Procon -SP irá notificar a Enel individualmente para que esclareça os cálculos e detalhe como chegou ao valor final. Constatado erro no faturamento, a empresa deverá retificar a fatura e enviar uma conta com os valores corretos, sem cobrança de multa ou juros. Para os casos em que, após análise da equipe, ficar constatado que o valor está correto, o Procon -SP vai exigir que a Enel ofereça o pagamento parcelado em 8 vezes no boleto e em até 12 vezes no cartão de crédito”.

O parcelamento da conta, no entanto, já é um serviço oferecido pela Enel, que informa: “A entrada será a partir de 13% do valor total do débito. Para realizar a negociação, os clientes podem acessar o Portal de Negociação (https://portalnegociacao.eneldistribuicaosp.com.br/#/home) ou o Aplicativo (https://www.eneldistribuicaosp.com.br/atendimento/aplicativo-enel)”.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.