Prefeitura homenageará Ruy Ohtake com nome de conjunto habitacional em Heliópolis

0
72

As unidades habitacionais beneficiarão mais de 700 famílias de baixa renda e fazem parte do Plano de Metas da Prefeitura que prevê a entrega de 49 mil moradias no mandato até 2024


O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, visitou na manhã desta quinta-feira (13), as obras dos conjuntos habitacionais Sabesp II e Gleba G, na região de Heliópolis, na Zona Sul da capital.

Segundo o prefeito, uma das unidades levará o nome em homenagem ao arquiteto Ruy Ohtake. “Estamos com um plano na área habitacional bastante ousado. Vamos entregar mais de 49 mil unidades habitacionais durante o nosso mandato até 2024. Isso aqui em Heliópolis é uma parte. Um conjunto bonito e que teve o projeto feito pelo arquiteto Ruy Ohtake”, disse.

Empreendimentos

O empreendimento Sabesp é uma parceria da Prefeitura de São Paulo com a CDHU -Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo. No total, conta com 480 unidades habitacionais dos condomínios 04 e 05 a serem entregues até 2024. A previsão é que ainda neste ano sejam entregues 240 unidades do condomínio 4 e no primeiro semestre de 2024, as unidades do condomínio 5. As famílias dos condomínios 01,02 e 03, cerca de 600, já estão morando desde 2017 e 2019.

Os apartamentos possuem em média 50 m², com dois dormitórios, banheiro, sala cozinha e área de serviço. Os condomínios oferecem área de lazer, bicicletário e sala de estudos.

Já o empreendimento Gleba G (condomínio B) conta com 221 unidades habitacionais com previsão de entrega no segundo semestre de 2022. Os apartamentos possuem em média 45 m², com dois dormitórios, banheiro, sala cozinha e área de serviço. O condomínio oferece área de lazer, pista de Cooper e playground. Do empreendimento Gleba G (condomínio A) foram entregues em 2014, 199 novas moradias.

Investimentos

As obras do empreendimento Sabesp II foram iniciadas em junho de 2019 com valor total de contrato de R$ 92,3 milhões, sendo R$ 43,9 milhões com recursos da CDHU e R$ 48,4 milhões da Prefeitura de São Paulo com recursos do Fundurb. Até o momento foram gastos cerca de R$ 28,6 milhões (base de medição – novembro de 2021).

Para os demais condomínios (01,02 e 03) entregues anteriormente, foram investidos em média R$ 130 milhões (valores de agosto/2010), sendo R$ 57 milhões com recursos da CDHU e R$ 73 milhões do município com recursos do FMSAI e Fundurb.

As obras do empreendimento Gleba G foram retomadas em agosto de 2017 e foram investidos até o momento cerca de R$ 25 milhões do município com recursos do Fundurb e FMSAI (base de medição – novembro de 2021). O contrato final é de aproximadamente R$ 42 milhões.

Beneficiados

As famílias que serão contempladas em ambos os empreendimentos foram removidas por obras de intervenção e recebem o benefício de auxílio aluguel até a entrega da moradia definitiva. Na mesma região, outras 3 mil famílias também tem o benefício e aguardam atendimento habitacional definitivo.

Dados de habitação

Em 2021, mais de 3.500 unidades habitacionais foram entregues a população paulistana. Estão em obras cerca de 4 mil novas moradias. O Programa de Metas da Prefeitura de São Paulo (2021– 2024) estipula a viabilização de 49 mil moradias de interesse social, por meio de Secretaria Municipal da Habitação, entre unidades entregues diretamente e unidades contratadas. Também estão previstas a Regularização Fundiária para 220 mil famílias e mais 27 mil devem ser beneficiadas com melhorias em obras de Urbanização em Assentamentos Precários.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.