Prefeitura abre UPAs e leitos de UTI na Zona Sul para tratamento exclusivo da Covid-19

0
28

A segunda onda da pandemia da Covid-19 está tão grave que algo inédito aconteceu no sistema de saúde municipal: hospitais privados pediram leitos públicos para tratar pacientes infectados pelo vírus. Nesta terça-feira (16), o Estado de São Paulo bateu um novo recorde: 679 novas mortes em 24 horas


Com o agravamento da pandemia da Covid-19, a Prefeitura de São Paulo abriu 19 unidades de Assistência Médica Ambulatorial (AMA) para atendimento exclusivo de pacientes infectados. Essas unidades funcionam das 7h às 19h.

Na Zona Sul, as AMAs que poderão atender pacientes de baixa e média complexidade para crises respiratórias estão localizadas nos seguintes endereços:

AMA Doroteia: Rua dos Aniquis, 3 – Cidade Ademar

AMA Miriam 1: Av. Santo Afonso, 419 – Cidade Ademar

AMA Figueira Grande: Rua Daniel Klein, 211 – M’boi Mirim

AMA Icaraí: Rua São Roque do Paraguaçu, 190 – Capela do Socorro

AMA Parque Fernanda: Rua Ernesto Soares Filho, 301 – Campo Limpo

AMA Geraldo: Av. Eng. Armando de Arruda Pereira, 2944 – Jabaquara

Além dessas unidades, o Hospital Dia M’Boi Mirim, e outros hospitais Dia da cidade, também começaram a funcionar como suporte de atendimento aos pacientes transferidos de hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

“Essas unidades, que atuam no campo da Atenção Básica, integrada e articulada à rede de serviços, estarão prontas para a demanda de agravos menores, possibilitando que os serviços de urgência e emergências tenham seus recursos destinados à assistência de maior complexidade”, explica a Prefeitura.

Além das mudanças nas unidades de saúde, a Prefeitura abriu mais 555 leitos de UTI para pacientes com Covid-19. Desde a última segunda-feira (15), o Hospital do M’ Boi Mirim recebeu 100 novos leitos, assim como o Hospital Guarapiranga recebeu 20 leitos. O Hospital da Capela do Socorro tem previsão de receber 60 leitos ainda nesta semana. Também na Zona Sul, os Hospitais Dia do Campo Limpo, Cidade Ademar, M’Boi Mirim I e M’ Boi Mirim II também serão contemplados com leitos de UTI.

A segunda onda da pandemia da Covid-19 está tão grave que algo inédito aconteceu no sistema de saúde municipal: hospitais privados pediram leitos públicos para tratar pacientes infectados pelo vírus. Geralmente, é a gestão municipal quem contrata leitos particulares diante da falta de leitos nos hospitais municipais.

“Nos últimos 4 dias, tivemos solicitação de 30 leitos de UTI e enfermaria para atender um conjunto de hospitais privados, de convênio, que estão com seus equipamentos completamente lotados e esgotados”, disse Edson Aparecido, secretário municipal da Saúde de São Paulo.

Nesta terça-feira (16), o Estado de São Paulo bateu um novo recorde: 679 novas mortes em 24 horas, ou seja, uma nova morte confirmada a cada dois minutos e seis segundos. No total, o Estado de São Paulo já contabilizou 64.902 mortes.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.