Prefeito Ricardo Nunes e Governador Tarcísio de Freitas firmam parceria para atender dependentes químicos

0
713

Iniciativa inclui a revitalização do centro com apoio do Tribunal de Justiça; Ministério Público e Defensoria Pública


O governador Tarcísio de Freitas e o prefeito de São Paulo Ricardo Nunes anunciaram, nesta terça-feira (24), um plano de ações para o atendimento aos dependentes químicos e a revitalização da área central da capital. Coordenada pelo vice-governador, Felício Ramuth, a iniciativa conta com apoio do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), do Ministério Público Estadual (MP-SP), da Defensoria Pública do Estado, e reúne programas estaduais e municipais de saúde, segurança e assistência para o atendimento à população.

Construído a partir do diagnóstico das ações de atendimento aos usuários de substâncias psicoativas na região central e da contribuição de médicos, especialistas e representantes da sociedade civil, o plano de ações está estruturado em quatro pontos centrais: a abordagem qualificada aos usuários por meio de profissionais especializados; oferta de várias linhas de cuidado para tratamento, integração completa da jornada de cuidados, com acompanhamento nos equipamentos estaduais e municipais; e a plena oferta de serviços públicos em todas as frentes de atuação, por meio da atualização do cadastro único.

“O objetivo é garantir aos dependentes químicos uma oportunidade de reinserção social, uma porta de saída do vício. Vamos aprimorar o trabalho de abordagem na ponta e ampliar as possibilidades de tratamento e acompanhamento dessas pessoas durante todo processo”, explicou Tarcísio de Freitas.

O Estado também ampliará a capacidade de atendimento aos usuários em comunidades terapêuticas, de acordo com a indicação médica. Serão 1.000 novas vagas, sendo 500 delas para utilização imediata. Outros 264 leitos para desintoxicação também estarão disponíveis para atendimento em hospitais gerais, no Instituto de Estudo de Álcool da Universidade de São Paulo (USP Cotoxó), e na Unidade Helvétia, que será reestruturada.

Todas as atividades do plano de ações para a região central da capital paulista serão monitoradas por 500 câmeras inteligentes interligadas ao Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) da Secretaria da Segurança Pública.

Estado e Prefeitura disponibilizarão um aluguel social de R$ 1.200 mensais para até cinco mil famílias já atendidas em equipamentos públicos municipais como abrigos e hotéis.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.