Polícia encontra corpo carbonizado em carro de líder comunitária desaparecida na Zona Sul

0
78

A líder comunitária Vera Lúcia da Silva Santos está desaparecida desde a semana passada. Ela é fundadora da ONG Auri Verde, que mantém Centros de Educação Infantil públicos na Zona Sul com atendimento para 1.000 crianças


No último sábado (18), policiais encontraram um corpo carbonizado dentro do porta-malas de um carro na Rua Dr. Pedro de Castro Valente, em Parelheiros. A suspeita é que a vítima seja Vera Lúcia da Silva Santos, de 64 anos, líder comunitária do Grajaú, que está desaparecida desde a semana passada.

De acordo com a Polícia, o carro em que a vítima foi encontrada pertence a dona Vera. No fim de semana, a Polícia ouviu testemunhas, filhos e parentes sobre o seu desaparecimento. Sabe-se que o telefone dela foi desligado após uma pessoa atender uma ligação do filho dela.

No dia 16 de julho, Vera Lúcia saiu de casa para trabalhar. Por volta das 10h ela chegou na ONG Auriverde, em que é presidente, e saiu sozinha. Depois disso, ela não retornou.

“O menino que trabalha conosco na manutenção falou ‘olha, eu tava arrumando aqui um freezer e ela falou ‘eu preciso sair pra resolver um problema, me dá a chave do carro’, ele disse ‘espera que eu vou com você’, mas ela disse ‘não precisa, é rápido’. E ela saiu. A bolsa dela ficou na sede e na bolsa tá a carteira de motorista, o documento do carro. Ela saiu pretendendo chegar muito rápido. Pra gente foi muito estranho não ter conseguido contato com ela via celular; eu tenho um aplicativo de rastreio no celular dela que eu mesmo instalei e não está funcionando”, explicou Edson Passos, filho de Vera Lucia.

Líderes comunitários se reuniram a procura de Vera Lucia, que há mais de 20 anos trabalha com desenvolvimento social no Grajaú. Ela é a fundadora da ONG Auri Verde, que mantém seis Centros de Educação Infantil públicos na Zona Sul com atendimento para 1.000 crianças e um Centro para crianças e adolescentes (CCA).

 A investigação é feita pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Em nota, o Instituto Auri Verde informou que agradece as manifestações de carinho e que o momento está sendo muito difícil para familiares, amigos e colaboradores. Afirmaram também que logo que receberem notícias das investigações irão informar a comunidade.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.