Operação Contra Comércio Ilegal em Santo Amaro terá fiscalização diária

5
1300

Subprefeitura de Santo Amaro preparou operação em todo o distrito santamarense


Uma repercussão positiva com a ‘Operação Contra o Comércio Ilegal’ no Terminal Grajaú resultou em uma segunda ação, desta vez a Prefeitura atuando através da Subprefeitura de Santo Amaro, onde está coordenando, juntamente com todas as 16 delegacias que compõem o Distrito de Santo Amaro, mais três batalhões da Polícia Militar, a Polícia Civil e a Guarda Civil Metropolitana (GCM), a ação contra o comércio irregular, não somente no Terminal Santo Amaro, como também no Distrito inteiro.

Conversando com a equipe da Subprefeitura, foi constatado que a ação conta com abordagem pacífica contra vendedores que não possuem autorização para estar vendendo nas ruas. “A proposta para Santo Amaro é retirar vendedores da ilegalidade e fomentar o empreendedorismo, trabalho e renda. Apostar nos nossos empreendedores é uma forma de fazer isso, pois fortalece e amplia os negócios, aumentando a oferta de vagas de trabalho e desenvolvendo a economia local. Essa é uma meta que alcançaremos juntos e colocando em prática a ação municipal ‘Tô Legal’, um sistema totalmente informatizado, que elimina a burocracia e facilita a vida do trabalhador que deseja vender os seus produtos e atuar dentro da legalidade nas ruas e avenidas de São Paulo’, disse a Subprefeitura, apresentando um projeto de inclusão deste tipo de pessoas do bem, para que possam vender produtos, oriundos de fruto artesanal ou legalmente, para poder se autossustentar. Este projeto ainda está sendo discutido internamente.

“Parte dos produtos comercializamos estão irregulares e em muitos casos estão classificados como falsificados, fazendo parte de operações de furtos e roubos de cargas. Há também o comércio de cigarro paraguaio e fumo eletrônico, que é ilegal a venda, onde não é permitido, nem com autorização”, continuou a Subprefeitura.

As discussões acerca do comércio ilegal em Santo Amaro é muito antiga e polêmico de se combater, mas a ideia da proposta da Prefeitura, liderado pelo Prefeito Ricardo Nunes, baseia-se na fiscalização permanente, onde todos os dias equipes da Polícia e da Prefeitura estarão rondando Santo Amaro, como uma maneira de dar um legado de maior autenticidade do próprio comércio santamarense.

Calçada ficou mais ‘larga’ com menos comerciantes

SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

5 COMENTÁRIOS

  1. Essa semana presencie as tais equipe em duas vans identificadas, além do logo da prefeitura o logo da empresa “potenza” próximo ao largo treze, estavam se achando policiais andando na contramão e fazendo gracinha no trânsito cheio de pedestres próximos com arrancadas bruscas no que me pareceu uma atitude de querer assustar os ambulantes que por sua vez saíram correndo. Sou morador do bairro e me senti enojado com essas duas equipes, a fiscalização precisa existir mas com respeito e dignidade.

  2. Como que a pessoa vai trabalhar legalizado se o site to legal nao abre para a pessoa procura a rua e os numeros isso e desumano se entra no site to legal e procura para trabalhar em santo amato nao abre esta tudo bloquiado… Mesmo a pessoa querendo pagar nao consegui trabalhar a prefeitura quer q a pessoa passe fome ja que nao consegui se legalizar

  3. Eu pergunto facilitar como o to legal se ele esta bloquiado nao abre nas ruas de santo amaro, querem q o trabalhador morra de fome ja que o to legal nao fuciona para santo amaro… Ja cansei de procura e não consigo as ruas de santo amaro nao fuciona o to legal sera que tem q entra na justiça pra fazer valer?

  4. Como o programa to legal facilita a vida sendo que em santo amaro ele nao fuciona? As ruas que trm comércios sao todas bloquiadas o to legal nao abre

  5. O to legal so tem nome nao ajuda em nada, muitas pessoas querem trabalhar e procura o to legal mais nao consegui as ruas sao bloquiadas elas nao abre, a pessoa quer trabalhar legalizada e nao consegui

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.