OFISA traz bailarinos do Grupo Passo Livre para o ‘Concerto de Maio’ no Teatro Paulo Eiró

0
1458

Maestra Sílvia Luisada contou detalhes de toda a programação da apresentação gratuita no domingo (28)


O último domingo (28) do mês está chegando e com ele vem o tradicional Concerto da Orquestra Filarmônica Santo Amaro (OFISA) no Teatro Paulo Eiró, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura, às 11h, gratuito.

A Maestra Sílvia Luisada preparou um repertório cheio de emoções para o Concerto de Maio. Na abertura, ‘O Pedro e o Lobo’, de Prokofiev, será narrado por Rafael Vicole, com a participação dos bailarinos do Grupo de Dança Passo Livre. “Na apresentação, cada animal será representado por um bailarino e por um instrumento da orquestra”, explicou a Maestra.

O que começará na abertura, também será encerramento com os bailarinos encenando Prokofiev, desta vez com a ‘Dança dos Cavaleiros’. Mas entre abertura e encerramento, Sílvia ainda reservou os ânimos para celebrar os 180 anos do nascimento do autor norueguês Edvard Grieg.

‘Suite Peer Gynt’ é uma peça teatral de 5 atos, narrando a história do jovem norueguês, com sonhos de grandeza e uma imaginação fértil, Peer Gynt, abordando temas como identidade, amor, egoísmo e a busca pelo sentido da vida. A peça simboliza a identidade e paisagem natural da Noruega. Sílvia regerá a opus 46 n. 1 – O despertar da Manhã.

A OFISA separará ainda dois momentos solos. No primeiro, o violonista Hebert França dará a entonação certa para o 1º movimento de Allegro (ma non troppo), do renomado autor alemão Karl Stamitz, um dos principais representantes da chamada Escola de Mannheim, um centro musical muito importante no Século XVIII. Stamitz empregou as características estilísticas típicas do período clássico, como equilíbrio formal, clareza melódica e contraponto refinado, Hebert poderá transmitir em sua apresentação a sensação de vitalidade, movimento e entusiasmo.

O outro solista a ser protagonista do Concerto será o violoncelista Vinícios Borges, apresentando ‘Noturno’, opus 19 n.4, do russo Tchaikovsky. A obra faz parte de um conjunto de seis peças conhecido como ‘Seis Peças para Violoncelo e Piano, Op. 19’, de 1873. O título ‘Noturno’ sugere uma atmosfera noturna e contemplativa, evocando a sensação de calma e reflexão. Foi escrito quando estava passando por desafios pessoais e emocionais, como problemas no casamento e na vida profissional, evocando a exploração da dualidade de emoções, entre a tristeza e a esperança.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.