Metrô instala portas automáticas em estações da Linha 5-Lilás

0
238

As estações que receberam as portas são: Adolfo Pinheiro, Brooklin, Santa Cruz, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Eucaliptos e Borba Gato. Pelo atraso na instalação, a empresa responsável foi multada em mais de R$ 50 milhões. Além disso, o Metrô revogou a licitação para estender a Linha Lilás até o Jardim Ângela, mas afirma que o projeto está em andamento com a iniciativa privada


O Metrô de São Paulo anunciou que, das 17 estações da Linha 5-Lilás, 7 receberam portas automáticas nas plataformas e outras 7 estão em fase de instalação. As portas são importantes porque só abrem quando o trem estaciona e evita que as pessoas caiam na via.

As estações que receberam as portas são: Adolfo Pinheiro, Brooklin, Santa Cruz, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Eucaliptos e Borba Gato. Testes já estão sendo feitos na estação Alto da Boa Vista e, para as estações Santo Amaro e Giovanni Gronchi, as portas estão sendo fabricadas.

A instalação das portas, no entanto, já deveria ter sido realizada. Por causa do atraso, a empresa Bombardier foi multada em mais de R$ 50 milhões. Em vídeo publicado nas redes sociais no dia 11 de julho, a Secretaria de Transportes Metropolitanos informa que o Metrô de São Paulo estava em ritmo acelerado para a instalação.

No vídeo, a Secretaria indica os testes iniciais de funcionamento das portas na estação Alto da Boa Vista; a instalação das portas de vidro, painéis fixos e portas de emergência na estação Moema; a furação e o recorte da plataforma nas estações Campo Belo e Chácara Klabin; a finalização do lançamento de cabos e levantamento topográfico na estação Campo Limpo; finalização do lançamento de cabos e transporte do material para a estação Largo 13; montagem do biombo para armazenamento das estruturas das portas na estação Vila das Belezas.

LINHA LILÁS ATÉ O JARDIM ÂNGELA

Em junho do ano passado, o secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, afirmou que o Governo estava comprometido a estender a Linha 5-Lilás até o Jardim Ângela com três estações: Comendador Santana, M’Boi Mirim e Jardim Ângela. Na época, a previsão era de que as obras deveriam começar no ano que vem, com término previsto para 2024.

Essas três estações serão subterrâneas, com 12 novos trens para atender 114 mil passageiros por dia. Apenas a estação Jardim Ângela deve receber mais de 60 mil pessoas por dia, com localização próxima ao Hospital Municipal M’Boi Mirim e integração com o terminal de ônibus.

No entanto, em março deste ano, o Metrô revogou a licitação para contratar uma empresa responsável pelo projeto básico da extensão da Linha. Mas segundo a Secretaria de Transportes Metropolitanos, essa revogação foi necessária para oferecer o projeto à iniciativa privada. “Atendendo recomendação do Tribunal de Contas do Estado (TCE), o Metrô revogou as licitações para extensão da Linha 5- Lilás. Assim como anunciado anteriormente, o Governo do Estado está em tratativas com a iniciativa privada para realizar os projetos que vão levar o metrô até o Jardim Ângela, dentro dos prazos esperados: início de obras em 2021 e conclusão até 2024“, informou a pasta.

A ViaMobilidade, empresa que administra a Linha 5-Lilás, é a aposta do Governo para fazer a obra de extensão até o Jardim Ângela como uma maneira de ampliar a concessão da linha para a empresa. No dia 9 de junho, o secretário de Transportes Metropolitanos afirmou em rede social que o Governo está “em tratativas com consórcio que opera a Linha 5-Lilás para a possibilidade desta importantíssima obra de extensão entre a Estação Capão Redondo, que interligará M’Boi Mirim e Jardim Angela”, disse Alexandre Baldy.


FALE COM A REDAÇÃO: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.