Máquina do Desejo, filme sobre a trajetória de Zé Celso, terá mutirão artístico para sua estreia

0
900
Créditos: Divulgação

Longa-metragem chega ao circuito cinéfilo como um rito de passagem do artista que transformou diversas gerações de brasileiros


Na quarta-feira (19), em celebração a Zé Celso, diretor, ator, dramaturgo e encenador brasileiro falecido no dia 6 de julho, artistas sairão em caminhada do Teatro Oficina até o Espaço Itaú de Cinema, onde será exibido o filme Máquina do Desejo, que celebra sua trajetória! O ato está marcado para as 20h.

Máquina do Desejo passou por uma jornada de vitórias em festivais, um filme sobre a fantástica trajetória de José Celso Martinez Corrêa, o inigualável Zé Celso, chega ao circuito dos cinemas brasileiros mediante a um mutirão artístico que, mobilizado com a tragédia que nos levou sua presença, pretende seguir a sua luta.

O documentário é uma codireção entre Joaquim Castro e Lucas Weglinski e terá sua pré-estreia no dia 19 de julho, quarta-feira, às 21h, ocupando as três salas do Espaço Itaú de Cinema Augusta, em São Paulo, com entrada gratuita.

A dupla de diretores transformou ao longo de sete anos um acervo de mais de seis décadas de registros; entre filmagens de cineastas e videomakers, arquivos de cinematecas, TV’s nacionais e internacionais, além de muitas gravações feitas pelo próprio Teatro Oficina, resultando no maior registro histórico de uma das mais longevas companhias de teatro em atividade permanente do Brasil.

A distribuidora Descoloniza Filmes, que planejava o lançamento para outubro, topou com os diretores esse ato no calor da urgência do fogo criador que sempre caracterizou Zé. Sem qualquer edital ou patrocínio, vão estrear no choque dos acontecimentos. O filme narra em uma linguagem única as mais de seis décadas de trabalho contínuo que transbordou o palco e penetrou na história do Brasil. Um mergulho nas entranhas criadoras da companhia que faz da liberdade de criação uma conquista irreversível.

Sinopse: Em mais de seis décadas, o Teatro Oficina faz mais que revolucionar a linguagem teatral no país: a influência estética da companhia de José Celso Martinez Corrêa estende-se da invenção do Tropicalismo à renovação das linguagens audiovisuais, performáticas, arquitetônicas, musicais brasileiras e muito mais a partir dos anos 1960 até hoje. O filme revisita uma história que envolve personalidades como Caetano Veloso, Glauber Rocha e Lina Bo Bardi, dissolve barreiras entre teatro, ecologia, arquitetura e sexualidade, e mistura arte e vida na eterna busca de uma linguagem verdadeiramente brasileira.

Endereços:

Teatro Oficina: Rua Jaceguai, 520

Espaço Itaú de Cinema: Rua Augusta, 1475


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.