Manifestação do Projeto Limpeza na Represa sobre esgoto não tratado e lixo sendo despejado na represa Guarapiranga

0
4

Providências tomadas pela Sabesp até o momento, não impedem novos furtos dos equipamentos de tratamento de esgoto nem o lixo que chega as águas

Integrantes do Projeto Limpeza na Represa realizaram no último sábado (4), manifestação contra a Sabesp, acusando-a de estar deixando lixo e esgoto serem despejados na represa Guarapiranga. O protesto aconteceu em frente ao córrego Jardim Floresta (ao lado do Terminal Varginha), onde o empresário e integrante do projeto, Augusto Bat, duas semanas atrás havia cobrado das autoridades e responsáveis a limpeza do lixo e esgoto não tratado que é levado de lá até a represa.

“A Sabesp, ao invés de tratar o esgoto, está o despejando direto na Guarapiranga, faz mais de um ano. Quando souberam da manifestação, limparam o esgoto e puseram um muro baixo [no dia anterior ao protesto] que não vai impedir que roubem os equipamentos de tratamento novamente”, afirma Augusto Bat.

Com caixas de som, faixas e o bloqueio de uma das pistas da Av. Senador Teotônio vilela, os integrantes diziam palavras de indignação contra o descaso da empresa com a água e o dinheiro cobrado por um serviço não realizado.

O empresário e membro da Associação de Micropousadas, Turismo, Eventos, Comércio e Indústria (AMTECI), Roberto Carlos da Silva, afirma que a represa Guarapiranga é um dos maiores mananciais da cidade e tem suportado a nossa crise hídrica, principalmente na última década. Segundo ele, a Sabesp transporta as águas limpas do rio Capivari, que nasce em Parelheiros, depois a conduz por elevação para que chegue até a Represa. No entanto, ao chegar nessa elevação, os esgotos vão se encontrando com essa mesma água que estava totalmente limpa, levando águas poluídas da região até a Guarapiranga. “A Sabesp nos cobra uma fortuna para o tratamento de esgoto, mas não o faz. Então o que nós queremos, é que a Sabesp cuide dessa água para que chegue de fato limpa na represa e tenhamos uma água de qualidade em nossas torneiras. Nós, empresários de Parelheiros do setor de turismo, protestamos porque não dá para um turista vir passando e vendo os córregos sendo coletores de esgoto da empresa. Foram vários ofícios enviados para a Sabesp, mas ela não responde”, pontuou.

Augusto Bat conclui que “Estamos sempre fazendo o trabalho de limpeza na Guarapiranga, o lixo e esgoto estão cada vez piores, então temos que tomar providências o quanto antes para que não acabem com a represa”.


Faixa bloqueada para manifestação na Av. Senador Antônio Vilela
Local onde pouco se recolhe o lixo despejado que acaba parando nos córregos

SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.