Lixo acumulado por morador de rua em praça abandonada é reclamação em Santo Amaro

0
403

A praça apresenta outras questões esquecidas pela Prefeitura: falta grama; há muitas folhas secas e galhos caídos; o piso da calçada está irregular, o que dificulta o passeio de moradores idosos e crianças, que podem se acidentar


Falta de zeladoria em praças da Zona Sul é reclamação constante dos leitores do Grupo Sul News. Dessa vez a reclamação é sobre uma praça, sem nome, na Rua José Abrantes, altura do número 485, em Santo Amaro.

A preocupação é com o lixo acumulado por um morador de rua que se instalou no local, há pouco mais de um ano, como relata Fabiana Domingues Lisboa, moradora do bairro.
“Ele é acumulador de lixo e leva tudo que recolhe para a praça. Além de ter montado uma barraca de lona e ter galões de água destampados. No local existem muitos gatos abandonados, inúmeros pombos e pasmem: 2 galos”.

Fora isso, a praça apresenta outras questões esquecidas pela Prefeitura: falta grama; há muitas folhas secas e galhos caídos; o piso da calçada está irregular, o que dificulta o passeio de moradores idosos e crianças, que podem se acidentar. “Quando chove a lama escorre para a parte que tem calçamento; eu mesma já escorreguei e perdi sapatos, porque, ou se passa ali ou no meio da rua de tráfego intenso. Essa situação de total abandono impede os moradores de utilizarem a praça”, desabafa Fabiana.

A Subprefeitura Santo Amaro informou já ter realizado o desfazimento da barraca do morador da praça, de acordo com a lei Nº 57.581/17, que veda a subtração, inutilização, destruição ou a apreensão dos pertences da população em situação de rua.

A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), por meio do Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS), informou que “realiza busca ativa para oferta dos serviços da rede socioassistencial às pessoas em situação de rua no município de São Paulo. Importante frisar que o aceite é voluntário. No que se refere à Rua José Abrantes, a equipe de orientadores socioeducativos orienta e sensibiliza sistematicamente a pessoa em situação de rua quanto aos riscos os quais está exposto, no entanto, o mesmo recusa encaminhamentos para rede socioassistencial. No dia 22/01 a equipe esteve lá e houve recusa. Acrescenta-se que ele recebe ajuda da comunidade local e o SEAS manterá a vigilância socioassistencial”.

Sobre a manutenção da praça com instalação de grama, reforma do calçamento e limpeza das folhas, a Prefeitura não se manifestou.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.